Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Resgate do garoto de 2 anos que caiu em poço na Espanha será nesta terça

Mais de 300 pessoas trabalham na operação, iniciada há oito dias, quando o garoto caiu em um túnel de 107 metros de profundidade na Serra de Totalán

A operação de resgate do menino Julen Roselló, que há oito dias caiu em um poço na Serra de Totalán, no sul da Espanha, deverá alcançá-lo nesta terça-feira, 22. A queda do garotinho de dois anos um um buraco de 25 centímetros de diâmetro e 107 metros de profundidade desencadeou comoção no país e uma operação sem precedentes.

Não há sinais de que a criança este ainda viva. Nem do contrário. As mais de 300 pessoas encarregadas de encontrar o menino trabalham incansavelmente contra o relógio, mas têm encontrado as mais diversas dificuldades ao longo de uma semana.

O presidente do Corpo de Bombeiros de Málaga, Francisco Delgado, explicou nesta segunda-feira, 21, que foram revisados “todos os cenários possíveis” para haver “a resposta imediata para qualquer problema que possa surgir”. “Aqui não pode haver nada ao acaso, pelo contrário. Chegamos a uma parte crítica na qual temos que nos garantir ao máximo”, afirmou Delgado.

O representante dos bombeiros informou que continuam os trabalhos de perfuração de um túnel vertical paralelo ao poço, até agora com 53 metros de profundidade. O objetivo é chegar aos 60 metros, o que é dificultado pela formação rochosa do terreno. Depois, será escavado um túnel horizontal para alcançar o local onde o menino supostamente está.

“Está lento, mas funcionando bem. Estão sendo feitos os trabalhos de manutenção”, comentou Delgado, que não quis dar prazos para a finalização.

O próximo passo, após o túnel alcançar os 60 metros, será entubar a perfuração. Depois, uma galeria de três metros será cavada por uma equipe de mineradores. Na sequência, uma jaula especialmente criada para o resgate descerá aos mineradores.

O menino caiu no poço quando brincava com uma prima de 3 anos de idade, segundo o jornal português Observador. O pai, José Roselló, o viu cair e tentou socorrê-lo. “Eu o ouvi chorar”, afirmou à polícia, entre lágrimas. As autoridades usaram uma câmera para alcançar a criança dentro do poço. Como não conseguiram baixá-la a menos de 70 metros, concluíram que o menino estaria soterrado mais abaixo.

A certeza de que o menino caiu no poço surgiu com a coleta de cabelos e outros vestígios. O material foi levada a exame de DNA, que constatou serem de Julen. Os pais do garoto, que perdem outro filho há alguns anos, estão recebendo assistência psicológica.

Dos três planos de resgate aventados, o escolhido foi a escavação no próprio poço, mas o terreno rochoso impediu a continuidade do trabalho no segundo dia. A alternativa foi a escavação de um buraco paralelo ao poço, de 60 metros de profundidade e de um túnel para alcançar o local onde o menino supostamente está.

A previsão de rápida escavação foi frustrada pelo terreno rochoso. Mais de 100 topógrafos, engenheiros, polícia, geólogos e mineiros se somaram à equipe original de resgate. Mas as chuvas do sábado 19 dificultaram ainda mais os trabalhos. O pai do garoto queixou-se de “não terem sido fornecidos todos os meios possíveis de resgate no primeiro momento”.

(Com EFE)