Clique e assine a partir de 9,90/mês

Radiação em água de Tóquio está acima do limite permitido

Autoridades recomendam que crianças e bebês não bebam água da torneira

Por Da Redação - 23 mar 2011, 03h38

A prefeitura de Tóquio anunciou na tarde desta quarta-feira (horário local) que os índices de radiação observados nos reservatórios da cidade estão acima do limite permitido para o consumo humano. As autoridades do país recomendaram à população da capital japonesa que evite dar a água diretamente da torneira para crianças e bebês, grupo de pessoas que pode ser afetado mais duramente pelos níveis de radiação superiores ao normal.

As autoridades detectaram uma concentração de iodo de 210 becquerel por quilo na usina de Kanamachi – que abastece as regiões central e oeste da capital japonesa -, acima do limite de 100 becquerel por quilo considerado seguro para as crianças. Segundo o Ministério de Educação e Ciência japonês, o limite de iodo na água corrente, no caso dos adultos, é de 300 becquerel por quilo.

Os Estados Unidos anunciaram nesta terça-feira a proibição da importação direta de uma série de alimentos importados do Japão. Leite e derivados, verduras e frutas frescas oriundos das cidades de Fukushima, Ibaraki, Tochigi e Gunma deverão passar por uma bateria de testes de radiação antes de serem comercializados. A agência reguladora FDA (Food and Drug Administration) será responsável por monitorar os níveis de radiação.

A decisão americana reflete a crescente preocupação com os altos índices de partículas radioativas encontradas nos alimentos produzidos na região da usina de Fukushima. Na noite desta terça-feira (horário de Brasília), o governo japonês recomendou à população que evite o consumo de 11 vegetais. De acordo com o Ministério da Saúde do país, os níveis de radiação desses alimentos está 164 vezes superior ao limite seguro. Segundo dados do governo do Japão, uma pessoa que consuma 100 gramas diárias de um desses vegetais por 10 dias seguidos estará se expondo à mesma radiação que absorveria normalmente durante um ano inteiro.

Continua após a publicidade

Entenda como a liberação de radioatividade a partir de um acidente nuclear afeta o meio ambiente

info-natureza-radiação
info-natureza-radiação VEJA
Publicidade