Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Putin promete aumentar forças nucleares da Rússia com mísseis e submarinos

Declaração acontece dois dias depois de suspensão de participação no último grande tratado vigente de controle de armas nucleares

Por Da Redação
23 fev 2023, 13h07

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou nesta quinta-feira, 23, que vai reforçar as forças nucleares russas com um novo míssil balístico intercontinental, mísseis hipersônicos e novos submarinos nucleares. A declaração do mandatário russo acontece um dia antes da marca de um ano da invasão à Ucrânia e dois dias depois do anúncio da suspensão de participação no último grande tratado vigente de controle de armas nucleares.

“Um exército e uma marinha modernos e eficientes são uma garantia da segurança e soberania do país, uma garantia de seu desenvolvimento estável e de seu futuro”, afirmou Putin. “Portanto, continuaremos a prestar atenção prioritária ao fortalecimento de nossa capacidade de defesa”.

Na terça-feira 21, além de acusar o Ocidente por inflamar o conflito na Ucrânia, Putin usou um discurso para anunciar a suspensão da participação russa no Novo Start e sinalizou que poderia retomar testes nucleares. O tratado, vigente desde 2010 e previsto até 2026, indicava que tanto a Rússia quantos os Estados Unidos, que juntos têm 90% do arsenal nuclear do mundo, impusessem um teto de 1.550 ogivas estratégicas implantadas, referindo-se àquelas ogivas montadas em terra ou mísseis lançados no mar.

+ Guerra na Ucrânia vai durar pelo menos mais um ano, diz Reino Unido

Sem a pressão do tratado, Putin afirmou então nesta quinta-feira que pretende fortalecer a “tríade nuclear” do país, em referência a mísseis nucleares em terra, mar e ar. Para isso, anunciou os mísseis balísticos intercontinentais Sarmat, que devem ser implementados ainda em 2023. Inicialmente, o projeto foi anunciado em 2018 e deveria ter sido entregue no final do ano passado.

Continua após a publicidade

O míssil de 15 metros de comprimento e alcance de até 18 mil quilômetros e pode carregar pelo menos 10 ogivas nucleares. Autoridades americanas acreditam que um teste com o Sarmat foi feito pouco antes de o presidente Joe Biden visitar a Ucrânia no início da semana, mas que a tentativa foi um fracasso.

Além disso, disse Putin, a Rússia continuaria a produção em massa de sistemas hipersônicos Kinzhal para os equipamentos no ar e iniciaria o fornecimento em massa de mísseis hipersônicos Zircon para a Marinha. No mar, o submarino de propulsão Borei-A deve ser adotado, sendo capaz de transportar 16 mísseis balísticos.

+ Rússia finaliza ogiva nuclear Poseidon, a ‘arma invencível’ de Putin

“Com a adoção do projeto submarino de propulsão nuclear Borei-A – ‘Imperador Alexandre III’ – na Marinha, a capacidade de armas e equipamentos modernos nas forças nucleares estratégicas navais chegará a cem por cento”, disse Putin.

Continua após a publicidade

Em janeiro, Moscou já havia anunciado que finalizou a sua primeira ogiva nuclear Poseidon. O super torpedo seria capaz de causar ondas radioativas que tornariam cidades costeiras inabitáveis.

Segundo Putin, o equipamento é “invencível” e funciona com uma velocidade superior a de qualquer submarino ou torpedo.

“Eles são muito silenciosos, têm alta capacidade de manobra e são praticamente indestrutíveis para o inimigo. Não há arma que possa combatê-los no mundo hoje”, revelou Putin quando anunciou o projeto.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.