Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Produtores uruguaios protestam contra calote da Venezuela

Produtores de leite e agricultores bloquearam estradas em todo o Uruguai nesta terça-feira em um inédito protesto contra um generalizado aumento de tarifas e impostos e contra o calote da Venezuela. O protesto convocado pelas redes sociais foi feito em dez departamentos dos dezenove em que se divide o Uruguai, com o epicentro na localidade de Libertad, 54 km a oeste de Montevidéu.

Em tratores ou a cavalo, com bandeiras e cartazes, os agricultores se manifestaram em todo o país contra o aumento de quase 10% do custo da energia e outros serviços públicos; contra o preço do combustível – o mais alto da região – e pediram que o governo arcasse com o pagamento de produtos vendidos à Venezuela.

Leia também

Venezuela divulga taxa de inflação de 2015: 141,5%

Para o novo ministro da Economia venezuelano, “inflação não existe”

Escassez de medicamentos provoca desespero na Venezuela

Os governos de Tabaré Vázquez e Nicolás Maduro assinaram no ano passado um acordo em que Caracas se comprometia a comprar alimentos no valor de 300 milhões de dólares (1,2 bilhão de reais). O acordo acabou se mostrando de difícil cumprimento para a Venezuela, afundada em uma grave crise econômica. “Existe um acordo comercial. As indústrias lácteas mandaram produtos para lá e o dinheiro não apareceu”, lamentou Marcos Algorta, produtor de leite de 27 anos que ajudou a organizar o protesto. “Ninguém pode vender sem cobrar”, disse.

“A dívida da Venezuela é muito grande. Somente à Conaprole (a principal cooperativa de produção de lácteos do país) deve 86 milhões de dólares”, disse Algorta. “Contando todo o setor lácteo, a Venezuela deve 100 milhões de dólares. É muito dinheiro”, concluiu.

(Da redação)