Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Polícia da Colômbia identifica autor do atentado em Bogotá

José Aldemar Rojas Rodríguez entrou na Academia de Polícia com uma SUV carregada com 80 quilos de explosivos

Por Da Redação Atualizado em 17 jan 2019, 23h53 - Publicado em 17 jan 2019, 19h16

A Polícia Judiciária colombiana identificou José Aldemar Rojas Rodríguez, de 55 anos, como o autor do atentado terrorista em Bogotá nesta quinta-feira, 17, informou o presidente da Colômbia, Iván Duque. Rojas se imolou na explosão de um carro bomba contra um edifício da Academia da Polícia Nacional. No atentado, Rojas matou mais dez pessoas e deixou outras 65 feridas.

“A investigação já está avançando e identificamos o autor material (do atentado). Vamos atuar com toda firmeza”, disse Duque à imprensa no local do ataque, no sul da capital colombiana.

O procurador-geral, Néstor Humberto Martínez, disse que o responsável pelo atentado residia no departamento de Arauca, perto da fronteira com a Venezuela. Trata-se de uma região de concentração de guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional (ELN). Conforme seu documento de identidade, Rojas nascera em Puerto Boyacá e não tinha a mão direita.

Ele teria carregado sua SUV Nissan Patrol de cor cinza, ano 1993 e placa LAF565 com 80 quilos de explosivos para o ataque. Rojas entrara na academia às 9h30 (12h30, em Brasília), dirigindo o veículo. Segundo as autoridades, na guarita, um cão policial teria farejado a presença de explosivos no carro. Rojas acelerou, atropelou dois cadetes e bateu o carro contra o alojamento feminino. Nesse momento, deram-se as duas explosões.

Continua após a publicidade

As autoridades investigam se a detonação foi provocada pelo choque ou ativada por um telefone celular. A motivação do crime tampouco foi identificada. Não está claro de Rojas agiu, por alguma razão, como um “lobo solitário”, ou se fizera parte de uma operação organizada.

“Conseguimos estabelecer a autoria material deste execrável crime, deste ato terrorista”, afirmou. “Toda a Polícia Judiciária está atuando para resolver esse caso. No curso das próximas horas, teremos mais informações porque eles estão orientados a estabelecer quem são os autores intelectuais deste atentado terrorista”, afirmou o procurador-geral.

  • Entre os dez mortos está a cadete equatoriana Erika Chicó. A também equatoriana Carolina Sanango sofreu ferimentos leves, de acordo com a Secretaria-Geral de Comunicação da Presidência do Equador. Um panamenho também está listado entre os 54 feridos, atendidos nos hospitais de Bogotá.

    As escolas de oficiais e suboficiais da Polícia Nacional e do Exército da Colômbia recebem agentes das forças de segurança de diferentes países, como parte de acordos de cooperação.

    Duque foi para o local do ataque pouco depois da explosão e afirmou que o crime não ficará impune.

    “Os colombianos nunca se submeteram ao terrorismo e esta vez não será exceção. Não nos dobrarão. Nem um passo atrás diante daqueles que atacam miseravelmente a sociedade”, afirmou o presidente colombiano, ao lado do prefeito de Bogotá, Enrique Peñalosa.

    (Com EFE)

    Continua após a publicidade
    Publicidade