Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Pequim retira obrigatoriedade de máscaras em atividades ao ar livre

Capital chinesa não registra casos há 13 dias

Por Da Redação Atualizado em 21 ago 2020, 15h17 - Publicado em 21 ago 2020, 15h06

Autoridades de Pequim anunciaram nesta sexta-feira, 21, a retirada da exigência do uso de máscaras faciais em espaços ao ar livre, relaxando ainda mais as diretrizes destinadas para impedir a propagação de Covid-19. A medida acontece após a capital chinesa não relatar novos casos por 13 dias consecutivos.

No entanto, quando em contato com outras pessoas, especialmente em locais fechados, a população ainda deverá usar as máscaras.

O relaxamento ocorre um mês depois de um novo surto de Covid-19 na capital chinesa fazer com que as autoridades aumentassem as medidas de prevenção e de isolamento. Em julho, 106 novos casos da doença foram registrados em 5 dias, 46 delas provenientes do mercado de Xinfadi, no distrito de Fengtai. Pequim não registrou nenhum caso de Covid-19 nos últimos 13 dias.

ASSINE VEJA

Aborto: por que o Brasil está tão atrasado nesse debate Leia nesta edição: as discussões sobre o aborto no Brasil, os áudios inéditos da mulher de Queiroz e as novas revelações de Cabral
Clique e Assine

Para conter os casos, o governo ordenou o fechamento do mercado e de academias, centros esportivos e outros estabelecimentos dedicados ao entretenimento, como os cinemas.

A China foi o primeiro país a registrar casos de Covid-19, no final de 2019, em Wuhan. No entanto, a epidemia foi contida no país graças a um confinamento rigoroso, ao uso de máscara generalizado e ao rastreamento de contatos. Não há registro de mortes desde meados de maio. No total, o país soma 89.594 casos, incluindo 4.709 mortes.

Wuhan foi isolada do mundo por 76 dias entre janeiro e abril. Mas a grande maioria dos 11 milhões de habitantes fizeram testes em meio a uma campanha de detecção em massa e gradualmente voltaram à vida normal.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade