Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Organizada pelo PT, nova comitiva de senadores viajará para a Venezuela

O senador petista Lindbergh Farias afirmou que a comitiva vai se reunir com o político oposicionista Henrique Capriles e com membros do governo bolivariano de Nicolás Maduro

Uma nova comitiva de senadores, agora capitaneada por parlamentares do PT, viajará nesta quarta-feira a Caracas para se reunir com representantes do governo, da oposição e da sociedade civil venezuelana, anunciou nesta segunda-feira o senador Lindbergh Farias (PT-RJ). “Nós queremos conversar com todos, vamos conversar com o principal líder da oposição venezuelana, que é Henrique Capriles, e que não foi procurado pela comitiva anterior. Vamos conversar com as mulheres dos presos da Venezuela, queremos conversar com o governo”, disse Lindbergh.

Na última quinta-feira, uma comissão de oito senadores, entre eles os congressistas Aécio Neves (PSDB-MG), Aloysio Nunes (PSDB-SP), Ronaldo Caiado (DEM-GO), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e Agripino Maia (DEM-RN), viajou a Caracas, mas foi impedida de visitar os presos políticos. O micro-ônibus que transportava os sanadores brasileiros foi bloqueado por atos hostis por parte de manifestantes chavistas e porque o governo resolveu fazer obras em um túnel e na rodovia que leva ao presídio onde estão os presos políticos. O túnel estava em “manutenção emergencial” e a pista estava sendo “lavada”.

Leia também

Venezuela define data para as eleições parlamentares: 6 de dezembro

Governo da Venezuela debocha de ataque a senadores brasileiros

Brasil convoca embaixadora venezuelana para explicar ataque a senadores

Para Lindbergh, a situação social e política na Venezuela é “gravíssima” e a comitiva da qual vai fazer parte tem como missão defender no país vizinho a “legalidade democrática e a realização de eleições diretas”, que foram anunciadas nesta segunda pelo governo venezuelano e serão em 6 de dezembro. Além de Lindbergh, a comitiva contará com Telmário Mota (PDT-RR), Lídice da Mata (PSB-BA), Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). A comitiva será liderada pelo senador e ex-governador do Paraná, Roberto Requião, do PMDB, e que era próximo do falecido ex-presidente venezuelano Hugo Chávez.

O governo do Brasil lamentou na noite de quinta-feira, por meio de uma nota oficial divulgada pelo Itamaraty, os incidentes ocorridos durante a visita da primeira comitiva, liderada pelo senador e ex-candidato presidencial Aécio Neves, e afirmou que “são inaceitáveis os atos hostis contra parlamentares brasileiros”. Devido ao incidente com o primeiro grupo de senadores que foi a Caracas, o Itamaraty convocou na sexta-feira a embaixadora da Venezuela em Brasília, María Lourdes Urbaneja, e o ministro das Relações Exteriores Mauro Vieira pediu esclarecimentos a sua colega venezuelana, Delcy Rodríguez.

Leia mais

Aécio: ‘O governo tem que escolher de que lado está’

No Brasil, deputadores bolivarianos tiveram trânsito livre

(Da redação)