Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

ONU esgotou opções para Coreia do Norte, diz embaixadora

Nikki Haley, embaixadora dos EUA para a Organização das Nações Unidas, afirmou que o assunto pode ser entregue para o Pentágono

Por Da redação 17 set 2017, 15h53

A embaixadora dos Estados Unidos para a Organização das Nações Unidas (ONU), Nikki Hayley, afirmou neste domingo que as ameaças de “fogo e fúria” do presidente americano, Donald Trump, sobre a Coreia do Norte não eram palavras vazias.

Segundo ela, o Conselho de Segurança da ONU “praticamente esgotou” todas as opções diplomáticas para a Coreia do Norte. “Estou prontamente feliz em dar esta tarefa para o secretário de Defesa, James Mattis, que tem um leque de opções militares para a questão”, afirmou Hayley, ao “State of the Union”, da emissora americana CNN.

  • “Se os EUA esgotarem as opções diplomáticas, o Exército cuidará da questão. Queríamos ser responsáveis e tentar todas as alternativas para ganhar a atenção deles [Coreia do Norte]”, declarou.”Mas, se a Coreia do Norte continuar com esse comportamento imprudente, se os Estados Unidos tiverem que se defender ou defender seus aliados de qualquer maneira, a Coreia do Norte será destruída. E todos sabemos disso. E nenhum de nós quer isso. Nenhum de nós quer guerra”, disse.

    Em entrevista para a rede americana CBA, Rex Tillerson, secretário de Estado dos Estados Unidos, mostrou que o discurso do governo está alinhado ao da ONU e afirmou que, se esforços diplomáticos contra a Coreia do Norte não funcionarem, a opção militar será a única a ter sobrado.

    “Que fique claro, buscamos uma solução pacífica para a questão, mas eles [Coreia do Norte] não estão captando a mensagem”.

    Continua após a publicidade

    Segundo o secretário, as sanções contra o regime de Pyongyang têm o objetivo de levar os países a um “diálogo construtivo e produtivo”.

    Força militar coreana

    Em um momento em que os líderes mundiais se dirigem para a sede das Nações Unidas em Nova York para a reunião anual da Assembleia Geral nesta semana, os comentários de Haley indicam que os Estados Unidos não estão recuando da ameaça de ação militar contra a Coreia do Norte.

    A Coreia do Norte lançou um míssil sobre o Japão no Oceano Pacífico na quinta-feira, desafiando as novas sanções do Conselho de Segurança da ONU, que proibiram as exportações de têxteis e limitaram as importações de petróleo bruto.

    A China pediu aos EUA que se abstenham de ameaçar a Coreia do Norte. Pyongyang tem lançado dezenas de mísseis à medida que acelera um programa de armas projetado para fornecer a capacidade de atingir os Estados Unidos com um poderoso míssil nuclear.

    A Coreia do Norte disse no sábado que pretende atingir um “equilíbrio” de força militar com os Estados Unidos.

    (Com Reuters e Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade