Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Coreia do Norte lança novo míssil e deixa Japão em alerta

O projétil sobrevoou a ilha japonesa de Hokkaido e depois caiu no Oceano Pacífico

A Coreia do Norte disparou um míssil não identificado nesta quinta-feira (sexta-feira no horário local), do distrito de Sunan, na capital Pyongyang, em direção ao leste, informaram as Forças Armadas da Coreia do Sul.

O governo do Japão emitiu um alerta de emergência em cidades na região norte do país. Lançado por volta das 7h (horário de Tóquio; 19h de quinta-feira em Brasília), o projétil sobrevoou a ilha japonesa de Hokkaido e depois caiu no Oceano Pacífico, como no teste do dia 28 de agosto.

Segundo o Estado Maior Conjunto de Seul (JCS), o projétil pode ter alcançado uma altitude de 770 quilômetros e percorrido uma distância de 3.700 quilômetros. O ministro porta-voz do governo japonês, Yoshihide Suga, explicou que o míssil caiu a cerca de 2.000 quilômetros da cidade de Erimo, no leste de Hokkaido, sem que tenha sido detectado choques com barcos ou aviões na região.

O escritório presidencial sul-coreano convocou de imediato uma reunião do Conselho Nacional de Segurança. O governo japonês também reagiu e condenou “nos termos mais enérgicos” o lançamento. “Protestamos energicamente ante a Coreia do Norte, manifestando-lhes a ira do povo japonês”, disse Suga.

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) convocou uma reunião de urgência. De acordo com o calendário do principal órgão decisório das Nações Unidas, a reunião, que será a portas fechadas, terá início às 15h locais (16h em Brasília). O encontro foi solicitado pelos Estados Unidos e pelo Japão.

Este foi o primeiro lançamento de um míssil pela Coreia do Norte desde o final de agosto – quando outro projétil também sobrevoou o norte do Japão – e o primeiro teste armamentístico desde que o regime de Kim Jong-un executou seu sexto e até agora mais forte teste nuclear, no último dia 3.

No início da semana, o Conselho de Segurança da ONU aprovou um novo pacote de sanções contra a Coreia do Norte pelos testes nucleares e balísticos que vem realizando desde 2006. A resolução, que contou com o apoio unânime dos 15 integrantes do Conselho, foi proposta pelos americanos.

Em resposta, os norte-coreanos emitiram um comunicado nesta quinta-feira ameaçando usar armas nucleares para “afundar” o Japão e reduzir os Estados Unidos a “cinzas e escuridão”. O regime de Kim Jong-un também pediu a dissolução do Conselho de Segurança, que chamou de uma “ferramenta do mal”. Segundo a emissora CNN, desde fevereiro a Coreia do Norte disparou 22 mísseis em 15 testes militares.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Estranho : O garoto Ping-Pong-Un faz o que faz para provocar todo mundo e NINGUÉM FAZ NADA !
    ————————
    Parece até uma tragédia anunciada : De repente, os mulekes “erram” o destino de um simples míssil e cai bem dentro de um território japonês. Apartir daí vai ser destruição total !

    Curtir

  2. (continuando)…Eu entendo que, apartir daí, a Coréia do Norte não vai conseguir suportar 1 semana de bombardeios intensos. Mas, no final, vai lançar todas as suas ogivas nucleares de uma só vez, só pra ver quem vai sobreviver… Lamentável, que ainda não fizeram nada contra esse muleke louco

    Curtir

  3. Osmar Serrragem

    A Paciência do Mundo com esta ‘coisa’ não é infinita e está se esgotando…

    Curtir

  4. O japinha da capital de chiclete tá doidinho prá causar a terceira guerra mundial e ,se os poderosos do mundo não fizerem nada, ele acaba conseguindo.

    Curtir

  5. Kim Jong-un é, no mínimo, demente. Desce o fim da GGII que sabemos o Japão haver abominado o uso de arsenal atômico, mas Kim Jong-un insiste em provocar. Se ainda vermos o Japão construir armas nucleares, poderemos nos arrepender pela negligência do ditador assassino coreano.

    Curtir