Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘Nós queremos uma sociedade com mais liberdade’, diz jornalista iraniano

Maziar Bahari também fala sobre trabalho de jornalistas em zonas perigosas e sobre o filme '118 Dias', que conta o período em que foi preso pelo regime dos aiatolás

Por Da Redação - Atualizado em 10 Dec 2018, 09h47 - Publicado em 12 Mar 2015, 14h56

A história do jornalista iraniano Maziar Bahari, que ficou quase quatro meses sendo interrogado e torturado sob a acusação de espionagem chegou aos cinemas brasileiros na última semana, contada pelo filme 118 Dias. Bahari foi preso em 2009, depois de cobrir a eleição fraudulenta do linha-dura Mahmoud Ahmadinejad e as manifestações populares que se seguiram à apuração.

Leia também:

Em VEJA: As transformações do Irã, livre de Ahmadinejad

Netanyahu: acordo nuclear põe o Irã mais perto da bomba

Continua após a publicidade

Na versão para o cinema, Bahari, interpretado por Gael García Bernal, conversa com o fantasma do pai, um ativista preso pelo xá Reza Pahlevi. E também com a irmã, ativista presa pelo regime dos aiatolás. Ao analisar a situação atual de seu país, o jornalista destaca o desejo de liberdade. “Minha família tem consciência social. Nós queremos ter um mundo melhor. O meu pai, meu avô, minha irmã, todos eram ativistas políticos. Nós queremos ter uma sociedade melhor e uma sociedade com mais liberdade”.

Em entrevista divulgada pela produção do filme, Bahari, que mora em Londres, fala também sobre os riscos enfrentados por jornalistas em áreas de conflito e analisa o filme sobre sua história pessoal. Confira:

https://www.youtube.com/watch?v=70yS5ffEkT8

(Da redação)

Publicidade