Clique e assine a partir de 9,90/mês

Mulher mais velha da Espanha vence batalha contra o coronavírus

Aos 113 anos, María Branyas estava em tratamento desde abril; Espanha decidiu impor quarentena de 14 dias a qualquer pessoa vinda do exterior

Por Da Redação - 12 May 2020, 13h57

A mulher mais velha da Espanha, María Branyas, de 113 anos, que havia contraído Covid-19 em abril, venceu a batalha contra o novo coronavírus e está recuperada. Segundo a imprensa espanhola, ela é a paciente mais idosa a se curar da doença.

María, que vive em um asilo na cidade de Olot, na região autônoma da Catalunha, testou negativo para o vírus nesta segunda-feira 11, segundo sua filha Rosa, que a definiu como “uma mulher forte e positiva”.

Enquanto estava com a doença, a idosa ficou isolada dos demais moradores do asilo Santa Maria del Tura por várias semanas nas quais recebeu tratamento. Durante o período, ficou muito “entediada”, de acordo com Rosa, que agradeceu aos profissionais que cuidaram de sua mãe.

Filha de espanhóis, María nasceu em 1907 em San Francisco, nos Estados Unidos, onde seu pai trabalhava, e voltou para a Espanha aos 8 anos de idade. Ela se casou em 1931, teve três filhos e 11 netos (o mais velho tem 60 anos) e 13 bisnetos.

Continua após a publicidade

Além de María, outras duas centenárias – de 101 e 107 anos de idade – se recuperaram de Covid-19 na Espanha desde o início da pandemia.

A Espanha registrou um ligeiro aumento no número de mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, com a confirmação de 176 novas vítimas – 53 a mais do que ontem -, totalizando 26.920 desde o início da pandemia, segundo informações divulgadas nesta terça-feira, 12, pelas autoridades locais.

Este é o quarto dia consecutivo em que o número de óbitos está abaixo de 200, o que significa que “os dados continuam mostrando uma tendência de queda favorável”, disse hoje o epidemiologista Fernando Simón, porta-voz do Ministério da Saúde da pandemia.

Assim como o de vítimas, o número de novos casos do novo coronavírus também subiu de ontem para hoje, com a confirmação por meio de testes de 426 novas infecções, subindo o total para 227.436.

Continua após a publicidade

Por região, a Catalunha acumula 43% do total de novos casos, com 184 positivos em relação a ontem, enquanto Madri soma 48 e consolida o número diário, de acordo com os últimos dados oficiais.

O número de mortos está concentrado nas três comunidades autônomas mais afetadas (Madri, Catalunha e Castela e Leão) e sete outras têm menos de duas mortes. “Mas ainda existem casos detectados e com risco de transmissão e, portanto, não podemos baixar a guarda”, alerta Simón.

Quarentena

Para acabar com a pandemia, o país decidiu impor uma quarentena de 14 dias, a partir de sexta-feira, 15, a qualquer pessoa vinda do exterior e restringirá as chegadas marítimas e aéreas de países do espaço europeu Schengen.

O governo adotou essas novas medidas no dia seguinte ao início do processo de desconfinamento, no âmbito do qual, no momento, metade da população espanhola pode se deslocar dentro de sua província. A flexibilização ainda não diz respeito a Madri, ou a Barcelona, duas das áreas mais afetadas pela epidemia.

Continua após a publicidade

(Com EFE e AFP)

Publicidade