Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Moscou concretiza avanços em Donbas, a caminho de conquistar a região

O exército da Rússia conquistou a cidade de Lyman, na região leste de Donetsk, e aperta o cerco nas cidades de Sievierodonetsk e Lyschansk

Por Da Redação Atualizado em 27 Maio 2022, 10h02 - Publicado em 27 Maio 2022, 09h59

Um relatório do Ministério de Defesa do Reino Unido informou nesta sexta-feira, 27, que as forças terrestres russas cercaram totalmente as cidades de Sievierodonetsk e Lyschansk, capturando várias aldeias próximas.

Combates intensos estão em andamento nos arredores de Severodonetsk, sob bombardeios quase contínuos. O prefeito da cidade, Oleksandr Stryuk, diz que 60% das habitações estão completamente destruídas e até 90% dos prédios estão danificados.

Na quinta-feira 26, quatro civis foram mortos em Severodonetsk, aumentando o total de mais de 1.500 civis mortos desde que a invasão começou em fevereiro. O centro da cidade está sendo destruído por armas pesadas e aeronaves russas, disse o chefe da Administração Militar Regional de Luhansk, Serhiy Haidai.

Segundo o Ministério de Defesa britânico, o Agrupamento de Forças do Sul da Rússia (SGF) continua encarregado de ocupar o território do sul da Ucrânia. Nos últimos dias, a Rússia enviou tanques T-62 para o SGF, que estavam guardados há mais de 50 anos. Esses tanques, no entanto, são vulneráveis ​​a armas antitanque, segundo avalia a pasta, e “sua presença no campo de batalha destaca a escassez de equipamentos modernos e prontos para o combate na Rússia.”

Mesmo assim, forças separatistas apoiadas pela Rússia assumiram o controle total da cidade de Lyman, na região leste de Donetsk, segundo autoridades ucranianas.

Continua após a publicidade

Lyman abriga um importante centro ferroviário e tem sido alvo de forças pró-Rússia. A área também está no caminho de Slovyansk – uma cidade de 125.000 pessoas que foi tomada por forças apoiadas pela Rússia em 2014, antes de ser recapturada pela Ucrânia –, que é um dos principais alvos russos para Moscou assumir o controle de Donbas.

As forças russas têm feito avanços esporádicos contra o exército ucraniano, entrincheirado em Donbas, desde que Moscou concentrou seus esforços de guerra lá. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, alertou que Donbas pode ficar desabitado pela invasão russa.

+ Rússia tem ‘vantagem’ nos combates em Donbas, dizem autoridades ucranianas

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse que a Rússia está fazendo um progresso “lento, mas palpável” em Donbas.

“Receio que [Vladimir] Putin – com grande custo para si mesmo e para os militares russos – continue a ganhar terreno em Donbas, ele continua a fazer progresso gradual, lento, mas, temo, palpável. Portanto, é absolutamente vital que continuemos a apoiar militarmente os ucranianos” disse Johnson em entrevista à Bloomberg.

O premiê pediu mais apoio militar para a Ucrânia, incluindo sistemas de lançamento de foguetes múltiplos que permitiriam aos ucranianos atacar alvos russos de uma distância maior.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)