Clique e assine a partir de 9,90/mês

Michael Bloomberg se qualifica para debate democrata em Nevada

Esta será a primeira vez em que o magnata vai estar em um palco com seus concorrentes que brigam pela indicação do partido

Por Da Redação - Atualizado em 18 fev 2020, 11h04 - Publicado em 18 fev 2020, 09h46

O ex-prefeito de Nova York e pré-candidato à Presidência dos Estados Unidos Michael Bloomberg se qualificou para participar do debate democrata que acontecerá nesta quarta-feira, 19, em Las Vegas, no estado de Nevada.

Bloomberg teve o apoio de 19% dos entrevistados em uma pesquisa encomendada pela NPR, PBS NewsHour e Marist publicada nesta terça-feira, 18. Com esse resultado, ele se encaixa nos critérios para participar dos debates.

Esta será a primeira vez em que o magnata vai estar em um palco com seus concorrentes que lutam pela nomeação. Já houve oito debates para decidir quem vai enfrentar Donald Trump nas eleições deste ano, mas Bloomberg ficou de fora por ter entrado tardiamente na corrida.

O ex-prefeito de Nova York anunciou sua candidatura somente em novembro e, por isso, decidiu não participar das quatro primeiras primárias nos estados de Iowa, New Hampshire, Nevada e Carolina do Sul. O magnata está dedicando quase toda sua campanha à chamada Superterça, quando 16 estados realizam primárias democratas no mesmo dia.

Continua após a publicidade

Apesar disso, Bloomberg gastou muito mais que os outros candidatos democratas em anúncios de campanha. Segundo a pesquisa NPR, PBS NewsHour e Marist, o investimento tem valido a pena: o magnata da imprensa aparece em segundo lugar na sondagem, com 19% das intenções de voto da legenda, atrás apenas do senador por Vermont Bernie Sanders (31%).

Para participar do debate em Las Vegas, os candidatos devem cumprir ao menos um de dois requisitos: ter ganhado ao menos um delegado nas primárias já realizadas em Iowa e New Hampshire; ou apresentar ao menos 10% das intenções de voto em quatro pesquisas nacionais ou 12% das intenções em duas pesquisas realizadas em Nevada e na Carolina do Sul.

Anteriormente, o Comitê Democrata Nacional (DNC) havia estabelecido que os pré-candidatos precisavam ter recebido doações para suas campanhas de ao menos 100.000 eleitores. A condição eliminaria Bloomberg, já que o milionário conduz uma campanha financiada apenas por sua fortuna. No final de janeiro, contudo, o DNC eliminou esse último requerimento.

Publicidade