Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Metade da população de Kiev fugiu desde invasão russa, diz prefeito

Ao todo, mais de 2,3 milhões de pessoas já deixaram Ucrânia, com a maioria cruzando a fronteira para a Polônia, segundo dados da ONU

Por Caio Saad Atualizado em 10 mar 2022, 12h06 - Publicado em 10 mar 2022, 12h03

Metade da população de Kiev fugiu desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro,  afirmou nesta quinta-feira, 10, o prefeito da capital ucraniana, Vitali Klitschko.

“De acordo com nossos dados, um em cada dois habitantes de Kiev deixou a cidade. Hoje, temos pouco menos de 2 milhões de pessoas”, disse a emissoras de TV ucranianas, acrescentando que a capital “se transformou em uma fortaleza”.

“Cada rua, cada edifício, cada posto de controle virou uma fortaleza”, acrescentou.

De acordo com dados da Organização das Nações Unidas,  mais de 2,3 milhões de pessoas fugiram da Ucrânia nas últimas duas semanas, com a maioria seguindo para a Polônia.

Nos últimos dias, o alto comissário da ONU para refugiados, Filippo Grandi, visitou países que têm recebido cidadãos ucranianos, como Polônia, Romênia e Moldávia. Ele comparou o atual momento com as guerras dos Bálcãs, nos anos 1990, que provocaram um fluxo de refugiados entre 2 e 3 milhões de pessoas, mas em um período de oito anos.

Continua após a publicidade

“Em outras regiões do mundo, sim, observamos este cenário, mas na Europa é a primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial”, disse.

As forças russas seguem em direção a Kiev em várias frentes e sirenes para alertar contra ataques aéreos foram ouvidas em algumas regiões da capital na quarta-feira. No entanto, combates intensos ao redor da cidade têm retardado o avanço das tropas.

Na quarta-feira, a ONU elevou para 516 o número de civis mortos na Ucrânia desde o início da invasão, incluindo 37 crianças. Os números reais, no entanto, podem ser “consideravelmente maiores”, já que relatórios de autoridades locais costumam ser enviados com certo atraso.

A maioria das mortes, segundo a organização, foi causada por armas explosivas, incluindo bombardeios, mísseis e ataques aéreos.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)