Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Zelensky condena ataque russo a maternidade: ‘Passou dos limites’

Presidente da Ucrânia classificou o ataque como 'atrocidade' e alertou a União Europeia: 'O que está acontecendo conosco também pode acontecer com vocês'

Por Duda Gomes Atualizado em 9 mar 2022, 23h34 - Publicado em 9 mar 2022, 20h34

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse que os ucranianos estão morrendo por todos os europeus na guerra contra a Rússia, nesta quarta-feira, 9, em entrevista ao jornal alemão Bild.

Ao comentar sobre uma possível inclusão na União da Europeia, ele disse aos países que não aceitam a Ucrânia no bloco: “O que está acontecendo conosco agora também pode acontecer com vocês. E isso é muito importante para mim. Nós morremos por vocês também”.

Em um vídeo transmitido em seu canal no Telegram, Zelensky disse ainda que as tropas russas “passaram dos limites” ao atacar uma maternidade em Mariupol nesta quarta-feira, 9. Ao menos 17 pessoas teriam se ferido na tragédia, que o chefe de estado ucraniano classificou como uma “atrocidade”.

Segundo o governo ucraniano, quase 1.200 moradores da cidade já morreram desde o começo da invasão, em 24 de fevereiro. O líder ucraniano ainda acusou o governo de Vladimir Putin de genocídio e pediu que a comunidade europeia condene os “crimes de guerra da Rússia”.

“Europeus, vocês não podem dizer que não viram o que aconteceu com os ucranianos… Vocês viram, vocês sabem, então vocês devem fortalecer as sanções contra a Rússia para que ela não tenha mais a oportunidade de continuar esse genocídio”, disse Zelensky.

Continua após a publicidade

A Ucrânia pediu para integrar a União Europeia quatro dias após o começo do conflito e solicitou que o país fosse admitido no bloco urgente. A resposta do Parlamento Europeu foi que a Ucrânia ganhasse status de membro da União Europeia.

De acordo com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, o pedido da Ucrânia será discutido “nos próximos dias”.

“A União Europeia se posiciona com firmeza junto aos esforços da Ucrânia para aliviar sofrimentos humanitários infligidos pela agressão russa e para garantir segurança nuclear”. acrescentou.

Na segunda-feira, 7, o porta-voz do governo russo informou as condições para que a Rússia acabasse com as operações militares na Ucrânia. Entre elas, Putin exigiu que a Ucrânia mude sua Constituição para a neutralidade, de forma que nunca integrasse a Otan e nem a União Europeia.

Além disso, também foi exigido que a Ucrânia reconheça a independência das regiões de Donetsk e Luhansk, além de enxergar a Crimeia como um território russo.

Em outra entrevista recente para o canal americano ABC, Zelensky afirmou que “amenizou a situação com a Otan”, e que sobre o reconhecimento das regiões separatistas, “a situação é mais complicada” do que parece.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)