Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Itália proíbe construção de McDonald’s próximo às Termas de Caracala

Área onde se situam os banhos romano está sujeita a condicionantes do Plano Paisagístico Territorial, por ser protegida como Patrimônio Mundial da Unesco

Por Alessandro Giannini 4 jan 2022, 14h50

Descobertas arqueológicas recentes mostraram que os romanos gostavam de comer na rua e até contavam com seus próprios restaurantes de comida rápida. Daí a instalar um McDonald’s gigante próximo às Termas de Caracala, um dos pontos turísticos mais visitados de Roma, vai uma distância enorme. Foi o que acharam os integrantes da sexta seção do Conselho de Estado, ao rejeitar recurso impetrado pela empresa americana em novembro do ano passado. A área onde se situam os antigos banhos romanos, conforme consta da justificativa apresentada, está sujeita a condicionantes do Plano Paisagístico Territorial, por ser protegida como Patrimônio Mundial da Unesco.

Tudo começou em 2019, quando o McDonald’s anunciou que abriria dois restaurantes próximos a locais históricos, um perto do Panteão, no centro de Roma, e outro nas cercanias das Termas de Caracala, nos subúrbios. A princípio, as autoridades regionais do Lazio aprovaram as propostas. Após protestos do público e de várias entidades, a decisão foi revertida e as obras que haviam sido iniciada nas imediações dos banhos foram interrompidas. A empresa americana havia planejado um restaurante de 250 lugares e um drive-thru em uma área anteriormente ocupada por um centro de jardinagem.

Em um comunicado, o McDonald’s disse que acatará a decisão e continuará investindo na cidade: “Como sempre, e neste caso, o McDonald’s atendeu a todas as leis e regulamentos nacionais, regionais e locais. O McDonald’s tem 54 restaurantes em Roma e 2.500 funcionários, como prova da relação positiva e de longo prazo entre nossa empresa e a cidade. É por isso que continuaremos investindo nesta área.”

As Termas de Caracala foram construídas entre 212 e 216, e abertas ao público durante o reinado do imperador que dá nome a elas. No auge, a enorme estrutura, decorada com mármores, mosaicos e esculturas, teria sido visitada por entre 6.000 e 8.000 pessoas todos os dias. A entrada era gratuita.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)