Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Israel diz estar pronto para ‘fazer o que for preciso’ após ataque do Irã

Exército israelense interceptou 99% dos mísseis lançados pelas Forças de Teerã e analisa próximos passos enquanto tensões no Oriente Médio crescem

Por Redação
Atualizado em 8 Maio 2024, 13h18 - Publicado em 14 abr 2024, 08h40

As tensões no Oriente Médio aumentaram neste sábado, 13, quando uma salva de drones iranianos foi lançada contra Israel, no que seria, segundo o país, uma “legítima defesa” em resposta ao ataque ao seu consulado em Damasco, na Síria, ocorrido no início de abril. Neste domingo, o exército israelense afirmou que o ataque causou danos moderados, já que mais de 99% dos estimados 300 drones e mísseis lançados pelo Irã foram interceptados no ar. O alvo mais afetado foi a base aérea Nevatim, ao sul do país, mas o dano à estrutura do local foi leve e ela continua em atividade. Entre civis, uma garota de 7 anos de idade ficou ferida atingida por estilhaços de um projétil abatido. 

A ofensiva iraniana afirma que o ataque foi anunciado ao vizinho com 72 horas de antecedência e que pode ser considerado concluído, já que não há a intenção de escalar o embate, contanto que Israel não volte a retaliar ou que os Estados Unidos se envolva no local. Segundo as Forças Armadas israelenses, o país tem planos traçados e está analisando as opções. “Estamos prontos para fazer o que for necessário para defender Israel”, disse um porta-voz do exército.

ENTENDA

O governo de Israel informou no sábado, 13, que mais de cem drones iranianos foram lançados a contra o país horas depois de as Forças de Teerã anunciarem a apreensão de um navio supostamente ligado a Israel. Parte dos drones foi vista sobre o Iraque, levando o país a fechar seu espaço aéreo, assim como o Líbano, Egito e Israel, que, segundo determinação do ministério do transportes do país, suspendeu todos os voos nacionais e internacionais. Jordânia ainda declarou estado de emergência.

Sem citar a possibilidade de uma guerra direta com o Irã, o ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, foi às redes sociais dizer que todos os cidadãos precisam manter-se como povo e como país diante dos grandes desafios. “Só juntos venceremos”, escreveu. Recado semelhante foi dado pelo primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu: “Juntos resistiremos e, com a ajuda de Deus, venceremos todos os nossos inimigos”, afirmou em vídeo postado na internet.

Continua após a publicidade

O incidente ocorre em meio a uma escalada de tensão na região que teve início com os ataques israelenses em Gaza, em outubro de 2023, mas que se intensificou depois que autoridades iranianas passaram a acusar Israel de promover um bombardeio ao consulado do país na Síria, com promessa de retaliação. O ataque deixou um comandante e outros seis oficiais da Guarda Revolucionária Iraniana mortos. Israel nega a autoria do atentado.

Em alerta máximo, o governo de Joe Biden condenou a apreensão do navio e convocou uma reunião de emergência. Mais cedo, em comunicado oficial, a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Adrienne Watson, pediu ao Irã que “liberte imediatamente o navio e a sua tripulação internacional”. 

“(O ato) deve ser condenado inequivocamente e trabalharemos com os nossos parceiros para responsabilizar o Irão pelas suas ações”, afirmou Watson. À Reuters, a MSC confirmou que o Irã apreendeu o navio e disse que trabalha “com as autoridades competentes” para o seu regresso seguro e o bem-estar dos seus 25 tripulantes. Segundo a agência de notícias, a empresa aluga o Aries da Gortal Shipping, uma afiliada da Zodiac Maritime, que é de propriedade do empresário israelense Eyal Ofer.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.