Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Grupo ligado ao EI ameaça matar refém francês

Vídeo com ameaça foi divulgado depois que o Estado Islâmico ameaçou matar cidadãos dos países que fazem parte da coalizão de combate ao terror

Um grupo ligado ao Estado Islâmico (EI) reivindicou nesta segunda-feira o sequestro de um francês na Argélia e ameaçou executá-lo em 24 horas se a França não parar de atacar os terroristas no Iraque. As ameaças foram feitas em um vídeo no qual aparece o refém Hervé Pierre Gourdel, de 55 anos, originário de Nice. Ele está sentado no chão cercado por dois homens armados e com os rostos cobertos.

O refém pede ao presidente francês, François Hollande, que o tire desta situação. Afirma ainda que trabalha como guia e fotógrafo e informa que chegou à Argélia no sábado e foi sequestrado na noite de domingo.

O vídeo foi divulgado horas depois de o EI ameaçar matar cidadãos dos países que fazem parte da coalizão internacional criada para combater o terror no Iraque e na Síria. O grupo que reivindica o sequestro é o Jund al-Khilafa (“soldados do califado”), organização jihadista argelina que se separou da Al Qaeda no Magreb Islâmico para se unir ao Estado Islâmico.

O Ministério das Relações Exteriores da França confirmou o sequestro e classificou a situação de “extremamente crítica”. O cidadão francês foi levado do vilarejo de Ait Ouabane, em Kabylie, área montanhosa distante cerca de cem quilômetros da capital Argel.

Leia também:

EI divulga vídeo com jornalista britânico sequestrado

EI ameaça os EUA em novo vídeo: “A luta só começou”

Mulher de refém britânico ameaçado faz apelo a terroristas

Nesta segunda, um porta-voz do EI pediu para que apoiadores do grupo terrorista cometam atentados contra os cidadãos dos países membros da coalizão, especialmente aqueles ligados à França e aos Estados Unidos. O escritório de Hollande comunicou que o mandatário telefonou para o primeiro-ministro argelino, Abdelmalek Sellal, para discutir o caso. Um comunicado diz que há “total cooperação” entre os países para encontrar o francês sequestrado.

Após iniciar ataques aéreos contra pontos estratégicos do EI, na sexta-feira, a França elevou o alerta de ameaça terrorista para todas as suas embaixadas localizadas no Oriente Médio e na África. Hollande tem dito que seguirá os Estados Unidos no combate aos terroristas.

(Com agência France-Presse)