Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

George Soros: Invasão à Ucrânia pode ser início da Terceira Guerra Mundial

Durante Fórum de Davos, bilionário alertou que regimes autoritários estão em ascensão, encabeçados pela Rússia e China, enquanto democracias declinam

Por Da Redação Atualizado em 24 Maio 2022, 16h36 - Publicado em 24 Maio 2022, 16h28

A invasão da Rússia à Ucrânia ameaça ser o “início da Terceira Guerra Mundial” e pode significar o fim da civilização, alertou o investidor e filantropo húngaro, George Soros, no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça.

Em um ataque feroz aos presidentes russo, Vladimir Putin, e chinês, Xi Jinping, Soros disse que regimes autocráticos estão em ascensão ao passo que a economia global caminha para uma grande depressão. O bilionário proferiu ainda duras críticas à ex-chanceler alemã, Angela Merkel, por se aproximar dos governos de Moscou e Pequim. 

+ Ucrânia diz ser ‘tarde demais’ para retirar civis de área sob ataque russo

Com o clima em Davos repleto de pessimismo devido à guerra na Ucrânia, Soros subiu o tom e disse que “a invasão pode ter sido o início da Terceira Guerra e a civilização humana pode não sobreviver a ela”.

“A invasão da Ucrânia não surgiu do nada. O mundo está cada vez mais engajado em uma luta entre dois sistemas de governança que são opostos um ao outro: a sociedade livre e a sociedade cerceada”, disse ele. 

Segundo ele, a maré começou a virar contra as sociedades abertas após os ataques de 11 de setembro de 2001, em que “regimes regressivos estão agora em ascensão enquanto sociedades abertas estão sob cerco”, sendo Rússia e China as maiores ameaças.

Sobre a crise desencadeada pelo conflito na Ucrânia, o filantropo disse que a Europa respondeu muito bem e que, embora leve tempo para que todos os detalhes sejam acertados, o continente reagiu com velocidade, unidade e vigor nunca vistos em toda a história. 

“Mas a dependência da Europa dos combustíveis fósseis russos continua excessiva, devido em grande parte às políticas mercantilistas adotadas pela ex-chanceler Angela Merkel. Ela havia feito acordos especiais com a Rússia para o fornecimento de gás e fez da China o maior mercado de exportação da Alemanha”, completou. 

Continua após a publicidade

+ Ucrânia deve ceder território à Rússia para encerrar guerra, diz Kissinger

Isso, segundo ele, fez da Alemanha a economia com melhor desempenho na Europa, mas com um alto preço a pagar, uma vez que vai levar muito tempo para o país reorientar suas relações comerciais.

No que diz respeito ao conflito na Ucrânia, Soros alegou que Putin finalizou o acordo de invasão com Xi durante o encontro nos Jogos Olímpicos de Inverno, em fevereiro, e reforçou que o líder chinês não é tão forte quanto parece. 

“Xi guarda um segredo culpado. Ele nunca disse ao seu povo que a sua vacina, projetada para a variante inicial de Wuhan, não oferece a proteção necessária contra outras variantes”, afirmou, completando que ele não “abriu o jogo” com objetivo de ser nomeado para o terceiro mandato consecutivo nas eleições deste ano. 

“Os bloqueios da China para combater a Covid-19 levaram a economia à queda livre, mas ele não consegue admitir que cometeu um erro. Com a interrupção das cadeias de suprimentos, a inflação global pode se transformar em uma depressão global”, disse. 

Por fim, Soros afirmou que as discussões sobre as mudanças climáticas devem continuar no radar durante a guerra. 

+ Rússia usa crise alimentar como ‘arma de guerra’, diz União Europeia

“Especialistas dizem que já ficamos muito para trás, e as mudanças climáticas estão prestes a se tornar irreversíveis. Isso pode ser o fim da nossa civilização. Portanto, devemos nos esforçar para acabar com essa guerra o mais rápido possível, e o melhor jeito de fazer isso é derrotar Putin o mais rápido possível”, concluiu.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)