Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Rússia usa crise alimentar como ‘arma de guerra’, diz União Europeia

Autoridade da Comissão Europeia acusou Moscou de 'chantagem' ao bloquear exportações de grãos da Ucrânia, a 'cesta de pão do mundo'

Por Da Redação 24 Maio 2022, 11h03

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, alertou nesta terça-feira, 24, para o risco de crise alimentar global causada pelo bloqueio da Rússia a fornecedores de grãos da Ucrânia, um dos maiores produtores de trigo no mundo. A autoridade da União Europeia apontou a possibilidade de Moscou estar usando o impedimento às exportações de trigo como “arma de guerra” para pressionar a comunidade internacional.

Em seu discurso no Fórum Econômico Mundial nesta terça, von der Leyen convocou a comunidade internacional a se unir para combater o que chamou de “chantagem” de Moscou. Segundo a política alemã, o exército russo está confiscando grãos e máquinas em áreas da Ucrânia e bloqueando as exportações dos portos do Mar Negro, com objetivo de provocar repercussões globais.

Empregando uma tática semelhante ao corte do fornecimento de gás e petróleo aos países europeus, a Rússia estaria agora ameaçando o mundo com o fornecimento de alimentos, disse a presidente da organização europeia.

+ Rússia cumpre ameaças e começa corte de gás pela Polônia

Seus comentários vêm horas depois que o secretário de Transportes do Reino Unido, Grant Shapps, disse que as mortes por escassez de alimentos devido à invasão russa ao país vizinho “podem ser ainda maiores do que as vidas perdidas na guerra diretamente”. Shapps afirmou que está discutindo ações para garantir que grãos saiam da Ucrânia com Oleksandr Kubrakov, o ministro da infraestrutura ucraniano.

Desde o início do mês, a região portuária de Odessa, onde ficam armazenados os produtos agrícolas, está sofrendo ataques russos que impedem as exportações do país, conhecido como a “cesta de pão” do mundo. O bloqueio aos portos ucranianos já está provocando o aumento dos preços de grãos e fertilizantes em todo mundo.

Recentemente, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, fez um apelo à comunidade internacional por medidas imediatas para acabar com o bloqueio da Rússia aos portos da Ucrânia, afirmando que a crise na região é a pior desde a Segunda Guerra Mundial.

“Pela primeira vez em décadas não há movimento normal da frota mercante, nenhum porto está funcionando normalmente em Odessa”, disse o líder ucraniano.

A Ucrânia é uma importante fonte de trigo e milho – especialmente para países do Oriente Médio e Norte da África, que dependem de importações. A provável quebra da colheita neste ano pode ter grandes repercussões, diminuindo a oferta e elevando os preços de produtos agrícolas importantes. Segundo o Banco Mundial, a guerra causará o maior choque das commodities em 50 anos.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)