Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Família israelense sofre ataque com ácido na Cisjordânia

Seis pessoas, incluindo crianças com idades entre 8 e 10 anos, foram atingidas por agressor, que pedia carona em um posto de controle

Por Da Redação 12 dez 2014, 14h05

Uma família israelense foi vítima de um ataque com ácido na Cisjordânia nesta sexta-feira, segundo informações das forças de segurança de Israel. Seis pessoas, incluindo quatro crianças com idades entre 8 e 10 anos, foram atingidas pela substância. O ataque ocorreu em um posto de controle de um importante bloco de assentamentos.

“Segundo informações preliminares, um palestino atacou um grupo de civis, incluindo crianças, com ácido”, afirmou o Exército, em comunicado, acrescentando que o agressor foi “neutralizado” por um civil que estava perto do local e atirou contra o homem quando ele tentava fugir.

Leia também:

Eleições antecipadas em Israel devem ocorrer em março

Netanyahu demite ministros centristas e convoca eleições em Israel

O texto diz que a família havia parado para dar carona ao homem, que então a atacou. O pai foi atingido no rosto, segundo informações da imprensa local, enquanto os demais sofreram ferimentos leves. Depois de atirar ácido, ele também tentou atacar a família com uma chave de fenda.

Continua após a publicidade

O agressor foi identificado como um palestino de 45 anos que já teria passado por uma prisão israelense. Segundo as forças de defesa israelenses, ele já havia se envolvido anteriormente em “tumultos e atividades ilegais e hostis”.

Outro ataque – A polícia também investiga outro incidente no qual um motorista palestino avançou contra uma barreira de concreto em um ponto de carona. Ainda não está claro se foi ou não um acidente. Dez israelenses e um turista estrangeiro foram mortos em atentados nos últimos meses, incluindo os autores dos atentados.

Leia mais:

Deputados franceses pedem reconhecimento do Estado palestino

Governo de Israel aprova projeto que reforça caráter judeu do Estado

Na quarta-feira, um ministro palestino morreu após confronto com um policial israelense de fronteira na Cisjordânia. O policial agarrou o ministro pelo pescoço durante uma briga e minutos depois Ziad Abu Ein caiu no chão com problemas respiratórios. Ele faleceu a caminho do hospital. As versões das autoridades israelense e palestina são conflitantes. Israel afirma que ele sofreu um ataque cardíaco, possivelmente causado por estresse, mas um patologista palestino concluiu que a pressão em seu pescoço foi a causa mais imediata do ataque cardíaco.

(Com agências Reuters e France-Presse)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)