Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

EUA apoiam proposta do Brasil de asilo à iraniana

"Esperamos que o Irã escute", diz porta-voz do departamento de Estado

Por Da Redação 2 ago 2010, 20h54

O departamento de Estado americano informou nesta segunda-feira que apoia a iniciativa brasileira de conceder asilo à iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani, acusada de adultério e condenada à morte por apedrejamento. O porta-voz do governo dos Estados Unidos, Philip Crowley, disse que o seu país espera que o Irã aceite a proposta como um “gesto humanitário.” O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ofereceu asilo à Sakineh, no último sábado, já que ela “está causando desconforto ao Irã”.

Segundo Crowley, “este é um caso que atraiu a atenção da comunidade internacional. Esperamos que o Irã escute, frente à disposição do Brasil de resolver esta situação”. O porta-voz também condenou a pena de apedrejamento. “Em pleno século XXI, esta prática é uma barbaridade e deveria ser proibida”, disse.

Proposta – No último sábado, o presidente Lula ofereceu asilo a Sakineh Muhamadi-Ashtiani, uma mulher de 43 anos, mãe de dois filhos, condenada à morte por ter relações ilícitas com dois homens. “Se minha amizade com o presidente do Irã e o respeito que tenho por ele valem alguma coisa, se esta mulher está causando desconforto, então vamos recebê-la aqui de bom grado”, disse.

Esta não é a primeira vez que o presidente Lula se envolve em questões relacionadas ao Irã. Em maio, o governo brasileiro negociou, ao lado da Turquia, um acordo para que a república islâmica troque urânio levemente enriquecido por combustível enriquecido a 20%. Foi uma tentativa de solucionar o conflito com as potências ocidentais sobre o programa nuclear iraniano. Mas, a iniciativa não foi bem recebida pela comunidade internacional.

(Com Agência France-Presse e Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade