Clique e assine a partir de 9,90/mês

EI e Al Qaeda ‘comemoram’ vitória de Trump na internet

Jihadistas acreditam que Trump "promove o ódio" contra muçulmanos e, por isso, incita o extremismo no país

Por Da redação - Atualizado em 10 nov 2016, 14h57 - Publicado em 10 nov 2016, 11h08

Apoiadores dos grupos terroristas Estado Islâmico (EI) e Al Qaeda comemoraram na internet a vitória do republicano Donald Trump, na eleição para a Presidência dos Estados Unidos. Extremistas chamaram o magnata de “tolo” e afirmaram que vão “tomar o poder quando Trump destruir o país”.

“11/09 foi o início do renascimento da nação muçulmana. 09/11 será o início da queda do Satã (América) desta era”, escreveu um usuário no Facebook, segundo postagem divulgada pela repórter Rukmini Callimachi, do jornal The New York Times. Os atentados no país em 2001 também foram celebrados em diversos perfis Twitter de defensores da Al Qaeda, “um passo dado pelos próprios americanos”, segundo um usuário.

“O mundo vai viver uma mudança, o que colocará o Islã em posição de liderança como resultado final”, escreveu outro apoiador do EI, em um fórum de jihadistas, segundo tradução do jornal britânico Express. Hamza al-Karibi, porta-voz de um grupo sírio ligado à Al Qaeda, também afirmou em seu Twitter que “a vitória de Trump é um tapa naqueles que promovem a eficiência de sistemas democráticos”.

De acordo com Callimachi, que acompanha redes sociais de jihadistas, a eleição do republicano foi vista como um avanço para o EI e a Al Qaeda, por ajudar a fortalecer a ideia de que os muçulmanos, mesmo moderados, não são bem-vindos nos Estados Unidos. “Uma estratégia do EI é promover o confronto de diferentes fés para criar uma polarização: muçulmanos de um lado e todo o resto do outro”, explicou a repórter.

Publicidade