Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Rússia se torna o 2º país com mais casos de coronavírus no mundo

Em 24 horas, foram diagnosticados cerca de 11.000 novos casos, 5.000 apenas em Moscou; porta-voz do Kremlin está hospitalizado após contrair coronavírus

Por Da Redação Atualizado em 12 Maio 2020, 12h25 - Publicado em 12 Maio 2020, 11h59

A Rússia se tornou nesta terça-feira, 12, o segundo país com mais casos de coronavírus no mundo, atrás somente dos Estados Unidos. Também nesta terça, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, anunciou que contraiu o vírus e que está internado para tratamento.

Segundo o governo, foram confirmados 232.243 casos de infecção e 2.116 mortes. Apesar do alta taxa de contágio – nas últimas 24 horas foram cerca de 11.000 novas infecções, 5.000 somente em Moscou –, a Rússia segue com uma das menores taxas de mortalidade da Europa. Alguns especialistas, contudo, colocam em xeque a veracidade dos dados divulgados pelo governo. 

O país está à frente da Espanha, que registra 227.436 casos e 26.744 mortes, e Reino Unido, com 224.332 infectados e 32.141 mortos. Já nos Estados Unidos, 1,3 milhão de pessoas testaram positivo e 80.684 morreram.

Mesmo com o aumento no número de casos, a Rússia começará nesta terça a relaxar o confinamento, ao suspender as medidas que obrigam o fechamento temporário das empresas. Prefeitos e governadores, no entanto, poderão decidir o ritmo da reabertura. Moscou, por exemplo, deve determinar a volta ao trabalho somente a partir do dia 31 de maio.

  • Vírus no Kremlin

    Também nesta terça, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, anunciou que havia contraído Covid-19, se tornando o terceiro funcionário de alto escalão do governo russo a ser diagnosticado com o vírus. Segundo a agência RIA Novosti, ele está hospitalizado. 

    “Sim, eu fiquei doente. Estou em tratamento”, disse à agência de notícias Interfax sem citar sua condição de saúde. Peskov não informou se esteve em contato recente com o presidente, Vladimir Putin, que está em isolamento desde abril, apesar de ter infringido a medida e ter comparecido às celebrações do Dia da Vitória em 9 de maio (o dia em que a Rússia comemora o fim da II Guerra Mundial).

    Além de Peskov, foram diagnosticado com a Covid-19 o primeiro-ministro, Mikhail Mishustin, a ministra da Cultura, Olga Lyubimova e o ministro da Construção, Vladimir Yakushev.

    ASSINE VEJA

    Quarentena em descompasso Falta de consenso entre as autoridades e comportamento de risco da população transforma o isolamento numa bagunça. Leia nesta edição
    Clique e Assine
    Continua após a publicidade
    Publicidade