Clique e assine a partir de 8,90/mês

Conselheiro de Trump diz que reabrir EUA provocará ‘mortes desnecessárias’

Anthony Fauci prestará depoimento ao Senado; médico está em quarentena depois que funcionários da Casa Branca testaram positivo para coronavírus

Por Da Redação - Atualizado em 12 Maio 2020, 11h30 - Publicado em 12 Maio 2020, 11h16

Anthony Fauci, principal conselheiro médico do governo Donald Trump, alertará o Senado nesta terça-feira, 12, de que a abertura prematura dos Estados Unidos pode trazer “sofrimento e mortes desnecessárias” pelo coronavírus, disse o cientista ao jornal The New York Times.

O renomado epidemiologista de 79 anos, muito popular nos Estados Unidos com suas mensagens de calma e controle, faz parte de uma comissão que aparecerá virtualmente nesta terça-feira diante do Senado. Os especialistas participarão por videoconferência, pois estão em quarentena porque vários funcionários da Casa Branca estão infectados com o vírus, que deixou mais de 80.000 mortos no país.

ASSINE VEJA

Quarentena em descompasso Falta de consenso entre as autoridades e comportamento de risco da população transforma o isolamento numa bagunça. Leia nesta edição
Clique e Assine

“A principal mensagem que quero transmitir (…) é o perigo de tentar reabrir o país prematuramente”, disse o médico ao jornal na segunda-feira à noite. O epidemiologista alertou que, se os procedimentos protocolares para reabrir o país forem ignorados, existe o risco de múltiplos surtos da doença. “Isso só trará sofrimento e mortes desnecessárias e atrasará nossa busca pela normalidade”, afirmou.

À frente da força-tarefa de cientistas que assessora a Casa Branca na crise, Fauci não mede palavras sobre a gravidade do momento, prima pela clareza e cumpre seu papel de voz do bom senso, em contraponto às trapalhadas do governo. Quando Trump alegou em março que o surto estava sob controle, ele rebateu que o pior ainda estava por vir. Fez pouco da cloroquina, exaltada pelo presidente como medicamento eficaz no tratamento da Covid-19: “As evidências até agora são uma piada”.

Atribui-se a ele a postergação da retomada das atividades nos Estados Unidos, que Trump queria para a Páscoa. Por essas e outras, uma pesquisa mostrou que Fauci tem a confiança de três em cada cinco americanos.

Por sua parte, Trump começou o dia com uma salva de tuítes defendendo sua gestão da crise e afirmando que a capacidade de realização de testes dos Estados Unidos “é a melhor do mundo”. “Os números estão caindo na maior parte do país, que quer reabrir e voltar aos trilhos. É o que está acontecendo. E está acontecendo com segurança”, afirmou.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade