Clique e assine a partir de 9,90/mês

Cinzas de Gandhi são roubadas de templo na Índia

No memorial, pôster em homenagem aos 150 anos de nascimento do líder indiano é vandalizado com a palavra 'traidor'

Por Da Redação - Atualizado em 3 out 2019, 21h34 - Publicado em 3 out 2019, 19h07

Em meio às comemorações do 150° aniversário de Mahatma Gandhi, na Índia, parte de suas cinzas foram roubadas do memorial Bapu Bhawan, no distrito de Rewa, no estado Madhya Pradesh. Um pôster de Gandhi no local também foi vandalizado com a palavra “traidor”.

Segundo o jornal India Today, o crime foi descoberto pelo líder de um partido político local, Gurmeet Singh, que iria homenagear o “pai da nação” junto de outros políticos.

“Isso aparenta ter sido feito por apoiadores de Nathuram Godse, o assassino de Gandhi. Esse ódio deve parar imediatamente, e a polícia deve agir rapidamente para identificar e prender os culpados”, Singh disse. “Eu espero que a polícia de Rewa analise as câmeras instaladas dentro do memorial. Isso é inaceitável”, completou.

Questionado pelo portal de notícias The Wire, o zelador do memorial, Mangaldeep Tiwari, disse que abriu os portões de Bhawan no começo da manhã para as comemorações do aniversário de Ghandi. “Quando voltei, por volta das 11 da manhã, eu não encontrei os restos mortais e o pôster estava vandalizado”, disse.

Continua após a publicidade

Gandhi é considerado o “pai da nação” por ter guiado o país para a independência do Reino Unido, em 1947. Porém, os hindus mais radicais acusam Gandhi de ter sido muito favorável aos muçulmanos. Ele foi assassinado por um hindu extremista um ano após a independência do país. Seu corpo foi cremado, e as cinzas foram enviadas em urnas para diversos memoriais pela Índia.

As tensões religiosas na Índia vêm aumentando desde a campanha de reeleição do primeiro-ministro, Narendra Modi, sob uma plataforma nacionalista-hindu. A deputada Pragya Thakur, aliada de Modi, foi reeleita em meio a polêmicas, como chamar o assassino de Ghandi de “patriota”.

Publicidade