Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Candidata que chamou assassino de Gandhi de ‘patriota’ é reeleita na Índia

Pragya Thakur é acusada de apoiar grupos terroristas hindus que atacam muçulmanos, como o que matou seis pessoas em 2006

A deputada Pragya Thakur chamou a atenção no mundo todo por ter sido reeleita para o Parlamento indiano. Integrante do Partido do Povo Indiano (BJP), do primeiro-ministro Narendra Modi, Thakur tornou-se conhecida como a indiana que chamou de patriota o assassino do Mahatma Gandhi e como apoiadora de grupos terroristas que atacam minorias religiosas da Índia.

A parlamentar de linha nacionalista hindu faz parte da ala radical do BJP. Aos 49 anos de idade, ela é acusada de planejar um ataque a bomba contra muçulmanos em Malegaon, cidade indiana a 200 quilômetros de Mumbai, em 2006. Seis pessoas morreram no atentado.

Além da acusação de terrorismo, Thakur elogiou o autor dos disparos que vitimaram o líder pacifista indiano Mahatma Gandhi, em 1948. Quando perguntada por um repórter sobre a declaração do ex-ator e agora político Kamal Haasan de que o primeiro terrorista indiano foi um hindu, Thakur disse que “Nathuram Godse foi um patriota e assim permanecerá”.

“As pessoas que chamam ele de terrorista deveriam repensar. Eles vão receber uma resposta adequada nestas eleições”, afirmou sobre o assassino.

Conhecido e reverenciado na Índia como o “Pai da Nação”, por sua luta pacífica em favor da independência da Índia da Inglaterra, nos anos 1940, o Mahatma Gandhi é visto com ceticismo por uma parcela dos hindus, contrariada por sua defesa de uma Índia aberta a todas as religiões e etnias.

Desde que Narendra Modi venceu as eleições, em 2014, o nacionalismo hindu vem crescendo no país, com o aumento de casos de intolerância religiosa e casos de linchamentos. Reeleito e com sua base de apoio no Parlamento ampliada, Narendra Modi terá mais tranquilidade para tocar sua agenda nacionalista.