Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Cidade violenta do México recebe primeiros solicitantes de refúgio nos EUA

Medida obedece política de Donald Trump de restringir ingresso de centro-americanos, que recebe aval do governo mexicano

Por Da Redação
10 jul 2019, 14h11

Nuevo Laredo, cidade fronteiriça do México conhecida por seus altos índices de violência, recebeu a primeira leva de imigrantes com destino aos Estados Unidos na terça-feira, 9. A chegada deles é parte de um programa iniciado em janeiro que, entre outros, proíbe solicitantes de refúgio de ingressarem em território americano antes da concessão desse status.

O grupo de 10 pessoas, que incluiu centro-americanos, venezuelanos e cubanos, entrou por Tamaulipas, Estado do nordeste mexicano, cruzando a ponte de fronteira de Nuevo Laredo, disse uma fonte do Instituto Nacional de Migração. Eles aguardarão em Tamaulipas enquanto suas solicitações de ingresso nos EUA são analisadas.

A medida é parte de um plano dos Estados Unidos, em coordenação com o México, para ampliar o programa Protocolo de Proteção aos Migrantes (MPP, na sigla em inglês), que começou no setor de Laredo, no sudoeste dos Estados Unidos, informaram autoridades do Departamento de Segurança Interna.

O diretor do abrigo Julio Lopez, que recebeu um dos imigrantes devolvidos, disse que Tamaulipas “não tem um plano de ação para atender estas pessoas tal como prometido”. O México concordou em junho em aumentar o número de portos de entrada, em conformidade com o MPP, depois da ameaça de imposição de tarifas sobre os produtos mexicanos pelo presidente americano, Donald Trump.

O programa, também conhecido como “Permaneça no México”, distribui os imigrantes em localidades da fronteira mexicana enquanto seus pedidos são processados nos Estados Unidos e contemplou 18.503 imigrantes desde seu lançamento.

Continua após a publicidade

Anteriormente, os imigrantes aguardavam a regularização de sua situação em solo americano, como é praxe em todos os países. Com a nova política, o solicitante de refúgio espera no lado mexicano da fronteira. Essa situação pode se alongar por meses, incentivar a travessia de forma irregular e colocar vidas em risco.

O MPP é parte de um esforço de Trump para conter o ingresso de imigrantes indocumentados pela fronteira sul do país , especialmente os provenientes de El Salvador, Guatemala e Honduras.

Na terça-feira, autoridades de fronteira dos Estados Unidos anunciaram que as apreensões de imigrantes na divisa sudoeste diminuíram de 144.278, em maio, para 104.344, em junho. O Ministério das Relações Exteriores mexicano citou dados semelhantes no início de julho, louvando seus próprios esforços para conter a imigração rumo aos Estados Unidos.

Continua após a publicidade

Na semana passada, Tamaulipas se recusou a participar do MPP, em um sinal das tensões causadas pelo plano. Trata-se de um dos territórios mais desgovernados do México, mas que também tem as passagens de fronteira mais utilizadas pelos migrantes, graças em parte à sua localização geográfica e à ausência de barreiras fronteiriças.

“Abrir essa fronteira coloca os imigrantes em grande risco devido ao histórico de sequestros e massacres de gangues de criminosos”, disse Oscar Hernandez, pesquisador de migrações do College of the Northern Border.

(Com Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.