Clique e assine a partir de 9,90/mês

Chuva recorde destrói casas e deixa ao menos 45 mortos no Japão

Sudoeste do país foi fortemente afetado por enchentes, deslizamentos de terra e transbordamento de rios; Autoridades decretaram estado máximo de alerta

Por Da Redação - Atualizado em 6 jul 2020, 12h07 - Publicado em 6 jul 2020, 11h57

Pelo menos 45 pessoas morreram em decorrência das fortes chuvas que afetam o Japão nos últimos três dias. Diversas cidades do sudoeste do país foram atingidas, causando grande prejuízo material e deixando muitas pessoas desaparecidas.

Nesta segunda-feira, 6, a Agência Meteorológica do Japão (JMA) emitiu alerta máximo nas províncias de Fukuoka, Saga e Nagasaki, todas na ilha de Kyushu, onde ocorreu a maioria dos casos fatais. Dentre as mortes, catorze aconteceram em um asilo localizado em uma área próxima ao rio Kuma, que transbordou, de acordo com informações divulgadas pelo governo da província de Kumamoto. As chuvas também causaram inundações, deslizamentos de terras e bloqueios de estradas em diversas cidades da região. O exército atua no local.

ASSINE VEJA

Governo Bolsonaro: Sinais de paz Leia nesta edição: a pacificação do Executivo nas relações com o Congresso e ao Supremo, os diferentes números da Covid-19 nos estados brasileiros e novas revelações sobre o caso Queiroz
Clique e Assine

Segundo a JMA, foram registradas chuvas de até 100 milímetros por hora e 800 milímetros acumulados, níveis nunca observados na série histórica.
Nas outras três províncias, o nível também é o mais alto registrado em décadas nesta época do ano no Japão, considerada a estação das chuvas.

A agência prevê que as chuvas torrenciais continuem pelo menos até terça-feira e recomenda que os habitantes das áreas afetadas permaneçam em suas casas enquanto estiverem seguros ou se mudem para os centros de abrigos criados pelas autoridades.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade