Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Pubs reabrem na Inglaterra com aglomerações e clima de revanche

Depois de quinze semanas, finalmente foi possível tomar uma cerveja nos tradicionais bares britânicos, mas nem tudo saiu como esperado pela autoridades

Por Ricardo Ferraz Atualizado em 6 jul 2020, 10h59 - Publicado em 6 jul 2020, 10h38

Era para ser uma reabertura controlada, observando-se o distanciamento social e as regras sanitárias determinadas pelo governo. O primeiro ministro britânico, Boris Johnson, convocou uma entrevista coletiva na véspera apenas para pedir moderação aos ingleses durante o ‘super sábado’, um apelido que reflete bem a expectativa da população quanto à data. Foi em vão. O que se viu quando os tradicionais bares londrinos abriram suas portas, após quinze longas semanas de quarentena, foi um clima típico de Copa do Mundo.

ASSINE VEJA

Governo Bolsonaro: Sinais de paz Leia nesta edição: a pacificação do Executivo nas relações com o Congresso e ao Supremo, os diferentes números da Covid-19 nos estados brasileiros e novas revelações sobre o caso Queiroz
Clique e Assine

No famoso bairro do Soho, em Londres, as pessoas se aglomeraram nas ruas, sem usar máscaras ou respeitar a distância mínima de um metro e meio, enquanto policiais patrulhavam o local e tentavam, sem conseguir, colocar alguma ordem na insólita muvuca britânica.

John Apter, presidente nacional da Federação de Polícia da Inglaterra e do País de Gales, desabafou pelo Twitter: “É claro que pessoas bêbadas não se distanciam socialmente”, escreveu. Ao fim do turno, ele reportou ter lidado “com comportamento anti-social, homens nus, posse de drogas da classe ‘A’, bêbados felizes, bêbados zangados, brigas, bêbados mais zangados e ser chamado de porco fascista por alguém nós tentamos ajudar! “

As imagens viralizaram nas redes sociais:

No total, 60.000 pubs foram reabertos na Inglaterra –  Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales ainda terão de esperar um pouco mais – com apenas 40% da capacidade e regras rígidas de convivência. Nada de balcão, só o serviço de mesa é permitido, com limite de seis pessoas sentadas. Os funcionários foram obrigados a usar máscaras e tomar cuidados extra, como lavar as mãos com maior frequência e usar álcool em gel.

“O que torna [a cena] quase distópica é que a equipe está usando EPI tão pesado apenas para lhe trazer uma bebida”, disse o frequentador Akwasi Akoto, à rede de TV CNN. Os clientes também foram obrigados a fornecer nome e endereço antes de entrarem nos bares, para serem rastreados, caso alguém posteriormente testasse positivo. Muitos estabelecimentos instalaram barreiras de acrílico para separar as mesas e substituíram copos de vidro por descartáveis. “Tentamos em nossos esforços não tornar o pub muito clínico e totalmente sem alegria”, avisou o Southampton Arms, tradicional pub no norte de Londres, aos clientes pelas redes sociais.

Para muitos, no entanto, a reabertura dos Pubs significou o mais próximo que um inglês pode chegar à vida pré pandemia: “Eu queria um pouco de normalidade”, disse Craig Sartwright à CNN, explicando sua decisão de se aventurar em um pub em Clapham, na capital inglesa. Mas nem todos os bares aderiram ao super sábado. “Acreditamos que o governo esteja ignorando os conselhos que a ciência está nos dizendo”, disse o Tollington Arms  a seus clientes pelo Twitter, anunciando sua decisão de permanecer fechado por enquanto.”Não podemos, em sã consciência, abrir o bar quando contrair um vírus mortal ainda é possível sob essas diretrizes”.

Até o momento, o Reino Unido reportou 285.416 casos de Covid-19 e 44.220 mil mortes. Durante a pandemia, o governo foi duramente criticado por vacilar em adortar o isolamento social e medidas sanitárias que pudessem controlar o vírus.

O fim de semana mostra, contudo, que nem a feroz pandemia foi capaz de colocar um fim a essa instituição britânica tão respeitada quanto a monarquia. Se os ingleses não conseguiram retomar a vida normal em sua plenitude, pelo menos agora podem contar com um velho companheiro:  os pubs, apesar dos pesares, estão de volta.

Continua após a publicidade
Publicidade