Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Casos de Covid-19 batem recorde no Líbano após explosão

Com hospitais à beira do colapso devido à pandemia e à explosão em Beirute, ministro interino da Saúde, Hamad Hassan, pede lockdown em todo o país

Por Da Redação Atualizado em 17 ago 2020, 15h51 - Publicado em 17 ago 2020, 15h28

Após a devastadora explosão que destruiu metade da cidade de Beirute, o Líbano anunciou novos dados preocupantes nesta segunda-feira, 17. Segundo o ministro da Saúde interino, Hamad Hassan, é urgente decretar o lockdown no país por duas semanas após os números de pacientes de Covid-19 ter chegado a números “chocantes”, saturando o sistema de saúde.

O número de casos positivos aumentou de maneira significativa nas últimas semanas. No domingo o país registrou um recorde, com 439 contágios, elevando o total a 9.337 infecções. Também foram registradas 2 mortes. Ao todo, 105 pacientes morreram.

ASSINE VEJA

A encruzilhada econômica de Bolsonaro Na edição da semana: os riscos da estratégia de gastar muito para impulsionar a economia. E mais: pesquisa exclusiva revela que o brasileiro é, sim, racista
Clique e Assine

“Os hospitais públicos e privados da capital dispõem de uma capacidade de atendimento muito limitada, em número de leitos de UTI ou de respiradores”, advertiu o Hassan. “Estamos à beira do abismo, não podemos permitir o luxo de perder mais tempo”, completou, antes de defender um novo confinamento de duas semanas. “Na capital, as UTIs e os serviços responsáveis pela luta contra a epidemia nos hospitais públicos estão lotados”, afirmou.

  • No dia 4 de agosto, uma explosão no porto de Beirute deixou 174 mortos e milhares de feridos. De acordo com o ministro interino, que renunciou ao cargo mas ainda lidera a pasta até que um substituto seja apontado, quatro hospitais de Beirute que atendiam pacientes do novo coronavírus ficaram “fora de serviço”.

    (Com AFP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade