Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Enrosco bolsonarista no DF pode ameaçar eleição de governador ao Senado

Ex-presidente pretende lançar Michelle Bolsonaro e apóia projeto político da deputada Bia Kicis, embaralhando a disputa pelas duas vagas em aberto

Por Laryssa Borges Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO 19 Maio 2024, 13h33

Apesar de diferentes pesquisas de intenção de votos colocarem a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro como uma candidata altamente competitiva à Presidência da República em 2026, Jair Bolsonaro tem planos para lançar a esposa a uma vaga ao Senado pelo Distrito Federal, onde, segundo projeções internas do PL, ela não teria nenhuma dificuldade em abocanhar um dos dois postos a serem preenchidos. O xadrez eleitoral no DF ganha contornos um pouco menos claros quando são apresentados os pré-candidatos à segunda vaga.

A diferentes interlocutores, Bolsonaro afirma que a deputada federal e presidente do PL no DF, Bia Kicis, também deve se apresentar como candidata ao Senado, projeto político que a própria parlamentar não esconde de ninguém. Se viabilizado, o lançamento do nome de Kicis também teria o selo de patrocínio do ex-presidente, que chancelaria uma dupla candidatura feminina que ele considera de forte apelo eleitoral.

Se vitoriosa, a dobradinha teria companhia da ex-ministra dos Direitos Humanos Damares Alves, atual senadora pelo Distrito Federal e que já foi ventilada como virtual candidata ao governo, e aniquilaria por pelo menos quatro anos – até a eleição de 2030, quando uma nova vaga ao Senado estará aberta – qualquer sombra não-bolsonarista na representação do DF. “Bia Kicis só não vai [se lançar ao Senado] se não quiser”, disse o capitão recentemente.

A costura para o lançamento da candidatura da dupla apoiada por Bolsonaro esbarra nos planos do governador Ibaneis Rocha (MDB), que, no segundo mandato à frente do Palácio do Buriti, também deve se lançar ao Senado. O político, que chegou a ser afastado temporariamente do cargo pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes na esteira dos atos golpistas de 8 de janeiro de 2023, é bem avaliado, segundo as mais recentes pesquisas de opinião pública, e também é aliado do ex-presidente, de quem espera que, agora, lhe seja retribuído o apoio empenhado no segundo turno de 2022.

No mês passado, Ibaneis anunciou publicamente a intenção de se lançar a senador. Com o endosso do MDB local, sua candidatura coloca três nomes competitivos do espectro de direita diante do colégio eleitoral, que, na última disputa presidencial, deu vitória a Jair Bolsonaro no primeiro e no segundo turnos.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.