Clique e assine com 88% de desconto

Bolívia não recebeu comunicado oficial de asilo concedido pelo Brasil a opositor

Por Michael Kappeler - 10 jun 2012, 15h18

A Bolívia não recebeu comunicação oficial por parte do Brasil concedendo asilo político ao senador de oposição Roger Pinto, que se refugiou na embaixada brasileira em La Paz alegando perseguição política, informou, neste domingo, uma alta fonte da chancelaria boliviana.

“Não recebemos um comunicado oficial, não recebemos uma comunicação oficial da chancelaria brasileira”, declarou Juan Carlos Alurralde, vice-chanceler boliviano, a uma rede de comunicação estatal.

O governo brasileiro “decidiu conceder asilo ao boliviano Roger Pinto Molina, segundo as normas e a prática do Direito Internacional Latino-americano e com base no artigo 4, inciso X, da Constituição Federal”, informou na sexta-feira a breve nota oficial do Itamaraty.

Segundo Alurralde, “não tomamos conhecimento, como seguramente todos, que este comunicado existe, mas não temos um despacho oficial que remeta este comunicado à chancelaria” boliviana.

Publicidade

Congressista há 15 anos por partidos de direita do departamento amazônico de Pando, no extremo norte do país, Pinto fez várias denúncias de corrupção contra o governador dessa região, sugeriu que membros do governo estão ligados ao narcotráfico e disse ter entregue relatórios reservados ao presidente Evo Morales que nunca foram comentados pelos governistas.

Há 22 ações penais abertas contra Pinto, um pastor evangélico de 52 anos, por causas que vão de desvios de fundos públicos a difamação. Ele também é acusado de ser o autor intelectual de uma matança em Pando em 2008, em que morreram cerca de 15 camponeses leais ao presidente Morales.

Publicidade