Clique e assine a partir de 8,90/mês

Ataque da coalizão saudita mata 22 crianças no Iêmen

Guerra deixa mais de 10.000 mortos desde 2015; ataques contra rebeldes houtis provocam frequentes mortes de civis

Por Denise Chrispim Marin - Atualizado em 19 set 2018, 13h13 - Publicado em 24 ago 2018, 15h45

Pelo menos 31 pessoas, entre as quais 22 crianças e quatro mulheres, foram mortas no Iêmen por ataque aéreo da coalizão militar liderada pela Arábia Saudita. As vítimas tentavam escapar em comboio das combate do Iêmen, informou nesta sexta-feira 24 a Organização das Nações Unidas (ONU).

Outras quatro crianças já tinham sida mortas na quinta-feira em consequência de bombardeios da coalizão saudita na região de Al-Durayhimi, ao sul da cidade rebelde de Hodeida, denunciou Mark Lowcock, subsecretário-geral das Nações Unidas para Assuntos Humanitários.

As vítimas dos bombardeios de hoje estavam próximas de um campo para pessoas deslocadas de suas casas, segundo a rede de televisão Al Jazeera.

No último dia 9, um ônibus escolar foi atingido por um ataque de aviões da coalizão, matando quarenta crianças e onze adultos. Os garotos participavam de uma viagem de férias para comemorar sua formatura na escola. 

Segundo as autoridades dos rebeldes houthis, que controlam a zona onde houve o ataque, ao menos 43 pessoas morreram, entre elas 29 crianças. A explosão também deixou 61 pessoas feridas, das quais trinta eram crianças.

A guerra no Iêmen já deixou mais de 10.000 mortos desde seu início, em março de 2015, e provocou a mais grave humanitária no mundo atualmente, segundo a ONU. Os rebeldes houtis, apoiados pelo Irã, tentam derrubar o governo do presidente, Abdrabbuh Mansur Hadi, a quem não reconhecem como legítimo.

Líder da coalizão militar que apoia Hadi, a Arábia Saudita e seus aliados têm sido acusados de bombardear áreas de concentração de civis. Uma das mais atacadas é a do porto de Hodeida, a principal porta de chegada de alimentos e ajuda humanitária no país e destino inevitável de boa parte da população.

 

Continua após a publicidade
Publicidade