Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Ataque a tiros mata 32 pessoas no Afeganistão: Talibã nega autoria

Ação ocorre uma semana depois da assinatura do acordo de paz entre os EUA e os talibãs; Estado Islâmico fez atentado similar em 2019

Por Da Redação 6 mar 2020, 15h32

Um ataque armado durante um ato político na capital do Afeganistão, Cabul, matou 32 pessoas nesta sexta-feira, 6. O Talibã negou ser responsável pelo atentado que ocorre menos de uma semana depois da assinatura do acordo de paz com os Estados Unidos.

O ato, em homenagem a Abdul Ali Mazari, um falecido político xiita da minoria hazara, contava com a presença do primeiro-ministro, Abdullah Abdullah, o ex-presidente Hamid Karzai e o ex-primeiro-ministro Salahuddin Rabbani. No Afeganistão, a vertente dominante do islã é a sunita.

Os tiros foram disparados a partir de um prédio próximo. As forças de segurança afegãs realizaram uma varredura no local, mas os terroristas não foram capturados.

O Talibã, por sua vez, negou a autoria. Em 2019, um ataque com morteiros realizado pelo braço armado do Estado Islâmico no Afeganistão contra a mesma cerimônia matou 11 pessoas.

  • O ataque desta sexta-feira aconteceu menos de uma semana depois da assinatura de um acordo de paz entre os Estados Unidos e o Talibã no sábado 29. O pacto abre caminho para a retirada completa das tropas estrangeiras do Afeganistão em 14 meses, em troca da de um processo de conciliação entre os insurgentes e o governo do país.

    Uma trégua parcial instaurada a pedido de Washington em 22 de fevereiro foi suspensa pelos talibãs na segunda-feira 2. Desde então, eles intensificaram os ataques contra as forças de segurança afegãs e deixaram de atuar contra as tropas internacionais.

    Um dos principais entraves para o acordo de paz prosperar no Afeganistão é a situação dos cerca de 5.000 talibãs sob custódia do governo e os 1.000 prisioneiros confinados pelos insurgentes.

    Continua após a publicidade
    Publicidade