Clique e assine a partir de 9,90/mês

Após quatro meses, Nova York registra primeiro dia sem mortes por Covid-19

Cidade que já foi o epicentro da doença nos Estados Unidos chegou a marca no último sábado, segundo a prefeitura

Por da Redação - Atualizado em 13 jul 2020, 07h40 - Publicado em 12 jul 2020, 23h03

Depois de ser uma das cidades mais atingidas pela pandemia do novo coronavírus e o epicentro da doença nos Estados Unidos, a cidade de Nova York registrou seu primeiro dia sem mortes por Covid-19, após quatro meses. A marca foi atingida no sábado, 11, e divulgada neste domingo, 12, segundo dados do Departamento de Saúde e Higiene Mental da cidade. Neste mesmo dia, 341 novos diagnósticos foram registrados na cidade.

ASSINE VEJA

Vacina contra a Covid-19: falta pouco Leia nesta edição: os voluntários brasileiros na linha de frente da corrida pelo imunizante e o discurso negacionista de Bolsonaro após a contaminação
Clique e Assine

Nova York registrou seu primeiro óbito no dia 11 de março. E, após a data, viu os números subirem de forma vertiginosa, chegando ao recorde de mortes no dia 7 de abril, quando 597 morreram pela doença, além de outros 216 óbitos suspeitos que aguardavam resultado. Desde o início da pandemia, a cidade registra um total de 18.670 mortes confirmadas por Covid-19 e 4.613 prováveis. Porém, após a queda da contaminação, o centro financeiro dos EUA está flexibilizando o distanciamento social e reabrindo a economia.

A capital dos EUA, Washington, também viu as mortes por coronavírus diminuírem. Os números divulgados pela prefeitura neste domingo não mostravam óbitos nos últimos três dias. O total de mortes nos EUA pela Covid-19 é de 134.904, sendo que 906 foram relatadas neste domingo. O país já passou de 3,2 milhões de casos positivos da doença, sendo o local com maior número de casos no mundo. O Brasil vem em seguida, com 1,8 milhão de casos e 72 mil mortes.

Reabertura de economia

Após o pico de contaminação e de registo de óbitos, a cidade está flexibilizando o distanciamento social e para a retomada econômica. Nessa terceira fase, salões de beleza, e estúdios de bronzeamento, entre outros, foram autorizados a reabrir. A volta de bares e restaurantes, entretanto, ainda não tem data. Isto porque, outros estados como Texas e Florida, que autorizaram o funcionamento dessas cidades, registram grande aumento de casos. O estado da Florida, por exemplo, registrou 15 mil novos casos positivos nas últimas 24 horas, recorde no país. 

“Os nova-iorquinos têm sido o herói desta história, indo além para manter um ao outro em segurança”, disse Avery Cohen, porta-voz da prefeitura, à agência Bloomberg. “Na ausência de liderança nacional, nossa cidade se adiantou para mostrar o que significa reabrir com segurança”, disse Cohen. “Com os casos surgindo em todo o país, sabemos que ainda não podemos baixar a guarda e continuaremos a fazer tudo o que pudermos para combater o vírus juntos”.

Continua após a publicidade
Publicidade