Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Amanda Knox volta à Itália “como uma mulher livre”

Acusada de assassinato em 2007, americana foi absolvida quatro anos depois em um dos mais célebres casos criminais da Justiça italiana

A americana Amanda Knox voltou a Itália pela primeira vez desde que saiu da prisão em 2011, após ser absolvida de ter participado do assassinato da britânica Meredith Kercher em 2007.

“Eu estou voltando para a Itália como uma mulher livre”, disse Amanda, agora com 31 anos de idade, em sua conta no Instagram.

Trabalhando como escritora e jornalista, ela retorna à Itália para participar de um painel – intitulado “Julgados pela Mídia – sobre justiça criminal na cidade de Modena. Ela se apresentará no sábado, 15. O evento é organizado por uma instituição sem fins lucrativos.

View this post on Instagram

Here we go… Wish us, "Buon viaggio!"

A post shared by Amanda Knox (@amamaknox) on

Amanda Knox foi acusada e condenada pelo assassinato de sua colega de quarto, a britânica Meredith Kercher. O corpo seminu de Kercher, que fora degolada, foi encontrado na casa em que elas moravam em Perugia. Além de Knox, outras duas pessoas foram condenadas pelo assassinato: Raffaele Sollecito, italiano e ex-namorado de Amanda, e Rudy Guede, nascido na Costa do Marfim, que também dividia a casa.

Amanda foi absolvida em 2011 junto do ex-namorado, enquanto Rudy conseguiu diminuir sua pena de 30 para 16 anos de prisão.

O caso ganhou notoriedade mundial e grande cobertura nos tabloides britânicos. Os rumores de que Kercher havia sido morta porque se recusara a participar de jogos sexuais se tornaram grande combustível para as publicações reconhecidas por serem sensacionalistas.