Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Advogados dizem que soldado de massacre era equilibrado

Especula-se que sargento estivesse sob forte estresse e tivesse bebido antes da chacina

O soldado americano acusado de de ter assassinado 16 civis afegãos em Kandahar, atualmente detido em uma prisão militar no Kansas, era uma pessoa “equilibrada”, afirmaram seus advogados. Na semana passada, o jornal The New York Times afirmou, citando uma fonte do Pentágono, que o sargento americano havia bebido antes da chacina e sofria de estresse decorrente de seguidas missões militares.

“Os testemunhos públicos de seus superiores, da família e dos amigos do sargento Bales, que o apresentam como um soldado equilibrado e experiente, são coerentes com as informações obtidas pela defesa”, afirmam os advogados em um comunicado. “É muito cedo para determinar os fatores que puderam influenciar neste acidente e a defesa espera para examinar as provas, examinar os relatórios médicos e pessoais do sargento Bales e interrogar as testemunhas”, completa o texto. Os advogados civis do soldado, John Henry Browne e Emma Scanlan, e seu defensor militar, Thomas Hurley, afirmaram que planejam encontros na próxima semana com Bales.

Robert Bales, um sargento de 38 anos casado e pai de dois filhos, foi transferido na sexta-feira do Kuwait para a base militar de Fort Leavenworth, no Kansas, sob protestos das autoridades afegãs, que desejam um julgamento no país. Até o momento, ele não foi acusado oficialmente de qualquer crime.

Bales deixou sua base no distrito afegão de Panjwayi, na província de Kandahar, no domingo passado e matou 16 pessoas, a maioria mulheres e crianças, segundo os primeiros elementos da investigação. Depois do massacre, ele retornou para a base e se entregou aos superiores.

(Com agência France-Presse)