Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

50 anos depois, Bolívia diz que Peru apoiou combate a Che Guevara

Telegramas diplomáticos revelaram que o governo peruano ofereceu ajuda contra a guerrilha

Em 9 de outubro de 1967, Che Guevara foi morto pelo exército boliviano, um dia depois de ser capturado em La Higuera, em Santa Cruz. Nesta segunda-feira, telegramas diplomáticos tornados públicos pela chancelaria boliviana revelaram que o governo peruano, durante o primeiro mandato presidencial de Fernando Belaúnde Terry (1963-1968), forneceu alimento e munição par ajudar as tropas da Bolívia a combater o revolucionário.

Cerca de três meses depois do primeiro confronto armado entre os guerrilheiros e o exército, em 1967,  a embaixada da Bolívia em Lima notificou seus diplomatas, por meio de um documento confidencial, da importância que o governo de Belaúnde havia dado para o assunto. A notificação data de 15 de junho daquele ano, segundo reportou o tabloide La Razón.

O jornal explicou que o documento faz parte dos arquivos que o agora ex-chanceler David Choquehuanca ordenou em novembro de 2016 que se tornassem públicos e que estarão à disposição da comissão da verdade, criada na semana passada para investigar as violações aos direitos humanos durante as ditaduras militares nas décadas de 60, 70 e 80 na Bolívia.

“O presidente Belaúnde me encarregou de informar ao presidente (René) Barrientos que observa atentamente o desenvolvimento das guerrilhas na Bolívia com possíveis complicações e oferece todo o apoio ao nosso governo”, destaca o documento revelado.

Em seguida, acrescenta: “disse-me estar satisfeito de que alimentos e munições peruanas estejam dando bom resultado a nossos exércitos. Interessou-se em conhecer os nomes dos guerrilheiros peruanos e ofereceu colaboração do serviço de Inteligência desse país”. A guerrilha de Che contou com a participação dos peruanos Restituto Cabrera, Juan Pablo Chang e Lucio Edilverto Garvan.

A Bolívia também recebeu ajuda militar dos Estados Unidos, principalmente por meio de armas e treinamento, que foram primordiais para a derrota de Che. O governo boliviano prepara uma série de cerimônias para comemorar no dia 8 de outubro o 50º aniversário da captura de Che no sudeste do país.

 (Com AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. O heróis dos comunas, um assassino, homofóbico, racista, tudo que os mentecaptos que se dizem de esquerda condenam nos que são contra suas obtusas crenças. cada um tem o herói que merece.

    Curtir

  2. Bruna Scalon

    Parabéns, caro colega George, 29ago.
    Esse miserável chsmado CHE nao passava de um gay enrustido, complexado, louco, perverso..UM PSICOPATA!!!
    Qualquer um que tenha participado da ‘caça’ a esse cretino já é um herói. E qualwuer imbecil que use uma camiseta com a figura nefasta de um Che, um Lênin, um Marx, um Stálin, um Lula,DRAO uma DilmAnta da vida só demonstra que tem “m” no lugar do cérebro, o Q.I. de uma ameba retardada, e é um tremendo de um mau-caráter (além de incompetente, burro, invejoso, etc, como todo bom esquerdista).

    Curtir