Clique e assine a partir de 9,90/mês

Governo rompe contrato e Força Nacional assume serviço de raio-x

Ministro da Justiça Alexandre de Moraes confirmou que policiais e bombeiros inativos ficarão responsáveis por operações de revista nas arenas olímpicas

Por da redação - Atualizado em 29 jul 2016, 16h33 - Publicado em 29 jul 2016, 16h12

A Força Nacional de Segurança assumirá o controle total do sistema de revista de bagagens e detecção de metais nas arenas da Rio-2016, conforme VEJA apurou com exclusividade nesta quinta-feira. O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, confirmou a medida nesta sexta-feira em evento no aeroporto do Galeão e anunciou o rompimento de contrato com a empresa catarinense Artel Recursos Humanos – que, alegando dificuldades financeiras, contratou apenas 500 dos 3.400 agentes planejados para controlar a segurança das arenas.

O presidente em exercício Michel Temer (PMDB) editou medida provisória que permitiu à Força Nacional incorporar PMs inativos há até cinco anos para reforçar o efetivo que atuará nos Jogos. A Artel, minúscula empresa de Navegantes (SC) que, mesmo sem ter qualquer experiência no ramo, ganhou a licitação e abocanhou o contrato de 17,3 milhões de reais da Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos (Sesge) para fazer o controle eletrônico das 49 instalações olímpicas, será punida.

Leia também:
Instalações olímpicas ainda não têm serviço de revista

“Com esse abandono contratual, a Artel será multada por sua incompetência e irresponsabilidade. A Olimpíada não sofrerá nenhum prejuízo, porque terá a melhor PM, que vai garantir 100% a segurança dos locais olímpicos”, disse Alexandre de Moraes.

A PM do Rio informou que os agentes da reserva remunerada com menos de cinco anos de inatividade receberam capacitação nesta sexta-feira da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça para a execução do serviço também conhecido como Mag & Bag – a revista por raio-x (magnética ou mag) e de bolsas (bag). Eles iniciarão a prestação do serviço neste domingo e atuarão nas mesmas condições dos integrantes da Força Nacional de Segurança Pública.

Continua após a publicidade
Estádio Olímpico do Engenhão: máquinas paradas e sem funcionários da Artel, empresa que recebeu 17 milhões para a função
Estádio Olímpico do Engenhão: máquinas paradas e sem funcionários da Artel, empresa que recebeu 17 milhões para a função VEJA

(com agência Reuters)

Publicidade