Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Peng Shuai reaparece em torneio na China e em chamada com o COI

Tenista estava desaparecida desde o início do mês, quando denunciou importante membro do governo de abuso sexual

Por Da Redação Atualizado em 21 nov 2021, 15h26 - Publicado em 21 nov 2021, 12h19

Há algumas semanas, um mistério rondava o esporte e o governo da China: onde estaria Peng Shuai, a famosa tenista desaparecida desde 2 de novembro, quando denunciou Zhang Gaoli, o ex-vice-primeiro-ministro do país, de abuso sexual. Neste domingo, 21, ela ressurgiu, sã e salva. Primeiro, foram publicadas fotos da atleta de 35 anos em um torneio de tênis que acontece em Pequim. As imagens não convenceram a Associação de Tênis Feminino (WTA, na sigla em inglês), que cobra explicações sobre a segurança de Peng Shuai. Horas depois, a tenista realizou uma vídeo chamada mais convincente com o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach.

A ex-número 1 do mundo no ranking de duplas não era vista ou ouvida publicamente desde que informou nas redes sociais chinesas, no início do mês, que Zhang Gaoli, um influente político local, a havia forçado a fazer sexo. Nem Zhang nem o governo chinês comentaram sua alegação. A postagem de Peng foi rapidamente excluída e o tópico foi bloqueado da discussão na rede sociais, em mais um caso claro de censura na China.

Na videochamada deste domingo, Pen Shuai estava acompanhado da presidente da Comissão de Atletas do COI, Emma Terho, e pelo membro do COI na China, Li Lingwei. No contato que durou meia hora, “ela explicou que está segura e bem, morando em sua casa em Pequim, mas gostaria que sua privacidade fosse respeitada neste momento”, informou o COI, em nota.

“Fiquei aliviado ao ver que Peng Shuai estava bem, que era nossa principal preocupação. Ela parecia estar relaxada. Ofereci a ela nosso apoio e para ficar em contato a qualquer momento que fosse conveniente, o que ela obviamente apreciou ”, disse Emma Terho. 

Mais cedo, a tenista apareceu em imagens divulgadas na página oficial de WeChat do torneio Fila Kids Junior Tennis Challenger. Nelas, Peng aparece sorridente, vestindo uma blusa azul escuro e uma calça branca de sua patrocinadora e organizadora do torneio, ao lado de organizadores.

As fotos e vídeos de Peng que surgiram neste domingo continuam “insuficientes” e não respondem às preocupações da WTA, disse um porta-voz da entidade à agência Reuters. A Federação Internacional de Tênis (ITF) também disse que continuará a buscar a confirmação de Peng de que ela está segura.”Nossa principal preocupação é a segurança e o bem-estar de Peng Shuai”, disse o presidente da ITF, Dave Haggerty.

“Os vídeos dela neste fim de semana parecem ser um passo positivo, mas continuaremos a buscar o envolvimento direto e a confirmação da própria Peng Shuai de que ela está bem e bem”, complementou Dave Haggerty à Reuters.

Continua após a publicidade

Uma das fotos de Peng no torneio foi postada no Twitter por Ding Li, um executivo sênior da empresa Global D-Sports. Ding disse à agência ser amigo de longa data de Peng e que o telefone dela esteve sempre ligado, de modo que a WTA poderia simplesmente ter ligado para ela. O presidente e CEO da WTA, Steve Simon, por sua vez, disse à revista Time na semana passada que a organização tentou contatá-la de variadas formas.

Peng também visitou um restaurante popular no centro de Pequim para uma refeição em que Ding compareceu, conforme mostram outras fotos e vídeos postadas por ele e por Hu Xijin, editor-chefe do Global Times, veículo apoiado pelo Partido Comunista na China.

As pesquisas nas plataformas chinesas por postagens sobre as alegações de Peng continuaram sem resultados neste domingo. Em alguns sites de compartilhamento de vídeo como Bilibili, o nome da tenista também não foi encontrado nas pesquisas. Alguns vídeos antigos com Peng ainda puderam ser encontrados, mas o acesso às seções de comentários estava bloqueado.

A mídia estatal chinesa CGTN divulgou na última quarta-feira, 17, um suposto  e-mail enviado por Peng à WTA, no qual ela teria dito que as denúncias de abuso sexual não eram verdadeiras. O presidente da entidade disse ter dificuldades em acreditar que a mensagem fosse realmente de autoria da tenista.

A questão da segurança de Peng surge no momento em que a China se prepara para sediar as Olimpíadas de Inverno em Pequim, em fevereiro, em meio a pedidos de boicote por causa de seu histórico de violação aos direitos humanos.

Continua após a publicidade

Publicidade