Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil vence no goalball – o esporte no qual se torce em silêncio

Seleção brasileira é uma das favoritas ao título da modalidade, a única exclusivamente paralímpica, disputada por atletas cegos

A seleção brasileira masculina de goalball, uma das favoritas ao título da Rio-2016, estreou com vitória nos Jogos Paralímpicos nesta quarta-feira ao bater a Suécia por 9 a 6, na Arena do Futuro. A modalidade, única exclusivamente paralímpica, é dedicada a atletas cegos e promete ser uma das sensações do evento. Nela, a torcida deve permanecer em completo silêncio para não atrapalhar os jogadores, que se guiam pelo barulho de um guizo colocado dentro da bola.

O destaque da equipe brasileira é Leomon Moreno, autor de cinco gols na partida desta manhã. O Brasil se manteve à frente no placar durante toda a partida e chegou a abrir 5 a 1 no primeiro tempo. O time relaxou um pouco na segunda etapa, mas conseguiu manter uma vantagem segura e estrear com vitória. A torcida, que compareceu em bom número, recebeu algumas advertências da arbitragem por fazer barulho e, assim, atrapalhar os atletas.

Leia também:
Odair Santos conquista 1ª medalha do Brasil nos Jogos
Daniel Dias busca 1ª medalha no Rio; as atrações desta quinta
Emoção no Maracanã: Paralimpíada é aberta com festa espetacular

A seleção volta a quadra na sexta-feira, às 13h15, contra o Canadá. Argélia e Alemanha são as outras duas representantes do Grupo A. A competição é formada por dois grupos de cinco seleções; as quatro melhores de cada grupo avançam à semifinal. O Brasil é o atual vice-campeão olímpico e campeão dos Jogos Parapan-Americanos.

Modalidade – O goalball é jogado com base na audição e no tato, com características semelhantes a boliche (pela forma como são dados os lançamentos) e handebol. É disputado por duas equipes de três atletas (com três reservas para cada time), em uma quadra de 10 metros de comprimento por 9 metros de largura. Em cada extremidade, há um gol gigante, que ocupa os 9 metros da linha final. Os três atletas de cada time devem atuar como “goleiros”, defendendo os lançamentos dos adversários, que ficam na outra extremidade da quadra.

As linhas do ginásio são táteis, para que os jogadores possam se localizar. A modalidade foi criada em 1946 pelo austríaco Hans Lorenzen e pelo alemão Sepp Reindl, com a intenção de ajudar na reabilitação de combatentes da II Guerra Mundial que ficaram cegos. O goalball só se tornou modalidade paralímpica nos Jogos de Toronto-1976.

Equipe brasileira comemora a vitória sobre a Suécia durante o Goalball da Paralimpíada Rio 2016, realizada na Arena do Futuro - 08/09/2016 Equipe brasileira comemora a vitória sobre a Suécia durante o Goalball da Paralimpíada Rio 2016, realizada na Arena do Futuro

Equipe brasileira comemora a vitória sobre a Suécia durante o Goalball da Paralimpíada Rio 2016, realizada na Arena do Futuro (André Horta/Fotoarena/Folhapress)