Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Venda de livros cai 16,3% no primeiro semestre de 2016

Os números são reflexo da crise econômica e da ausência de um fenômeno equivalente ao dos livros de colorir do ano passado

A venda de livros durante o primeiro semestre de 2016 fechou em queda de 16,3% em volume, em relação ao ano anterior. Em faturamento, a queda foi menor, de 6,94% — mas, descontando a inflação acumulada nos últimos doze meses, a queda real do faturamento é de 15,61%. O levantamento foi feito pela Nielsen por encomenda do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel).

Leia também:
Morre Sergio Machado, presidente da editora Record, aos 68 anos
Autora de ‘Crepúsculo’ lançará livro sobre ex-agente secreta

Segundo o Snel, os números são reflexo da crise econômica brasileira e da ausência de um fenômeno equivalente ao dos livros de colorir no ano passado, que testemunhou um boom entre abril e junho. O preço médio dos livros passou de 38,55 para 42,87 reais, comparando o primeiro semestre de 2015 e 2016, um aumento de 11,19%.

A pesquisa mostrou que também caíram as vendas no chamado período 6, entre 23 de maio e 19 de junho, de 18,41% em volume e 9,93% em faturamento, em relação ao mesmo período no ano passado.

A pesquisa faz parte do Painel das Vendas de Livros no Brasil de julho. O estudo é feito todo mês, a partir de dados coletados em livrarias, canais de e-commerce e varejistas.