Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Morre Sergio Machado, presidente da editora Record, aos 68 anos

Editor foi vítima de complicações decorrentes de uma cirurgia realizada ainda no final de 2015, de acordo com a assessoria de imprensa da Record

Morreu na madrugada desta quarta-feira o editor Sergio Machado, presidente do Grupo Record, o maior conglomerado editorial do país. Sergio, que tinha 68 anos, foi vítima de complicações decorrentes de uma cirurgia no cérebro realizada ainda no final de 2015, de acordo com a assessoria de imprensa da Record. Ele estava internado na Clínica São Vicente, no Rio. Ainda não há informações sobre velório ou sepultamento. Sônia Machado Jardim, sua irmã e sócia, assume a presidência do grupo.

LEIA TAMBÉM:
Sérgio Machado, da Record, comemora a libertação das biografias

Sergio Machado tinha 6 anos em 1954, quando a Record foi criada por seu pai, Alfredo Machado, e por seu tio, Décio Abreu, que deixou a sociedade nos anos 1970. Passou a trabalhar na empresa ainda jovem, aos 24 anos, deixando a Vale do Rio Doce, em Vitória, onde, economista de formação, atuava então. Assumiu o comando do grupo em 1991, com a morte do pai, e foi responsável pela expansão da companhia, comprando outras editoras e cunhando selos para diversificar o catálogo, hoje com 8.000 títulos.

Além da própria Record e dos selos próprios Galera e Galerinha, o grupo detém a Bertrand Brasil e o selo Difel; as editoras José Olympio, Civilização Brasileira, Paz e Terra, Verus, BestSeller (e o selo Best Business), as Edições BestBolso, Rosa dos Tempos, Nova Era e Viva Livros.

Sergio Machado deixa a mulher, Maria do Carmo, três filhas e três netos. Duas das filhas, Roberta Machado e Rafaella Machado, são diretora comercial e editora do selo Galera Record, respectivamente.