Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Reese Witherspoon diz ter sido assediada por diretor aos 16 anos

Atriz contou que esse não foi o único caso durante a sua carreira e afirmou que foi uma 'semana difícil para as mulheres em Hollywood'

Reese Witherspoon relatou pela primeira vez um assédio que sofreu quando tinha 16 anos por um diretor de Hollywood. A atriz, de 41 anos, começou a carreira na dramaturgia em 1991 e garantiu que essa não foi a única vez em que teve que lidar com comportamento inadequado de colegas na profissão. “Sinto aversão pelo diretor que me assediou quando eu tinha 16 anos e raiva pelos agentes e produtores que me silenciaram, como uma condição de trabalho”, afirmou a atriz durante evento da revista americana Elle em homenagem às mulheres, que ocorreu nesta segunda-feira.

De acordo com o site da revista The Hollywood Reporter, Reese complementou: “Gostaria de dizer que esse foi um incidente isolado em minha carreira, mas infelizmente não foi. Eu passei por múltiplas experiências de assédios sexuais e eu não falo sobre eles muitas vezes”.

A atriz afirmou que foi uma “semana difícil para as mulheres em Hollywood”. Após uma investigação do jornal The New York Times revelar inúmeros casos de assédio envolvendo o produtor americano Harvey Weinstein, diversas atrizes começaram a contar situações pelas quais passaram, como Angelina Jolie e Björk. “Depois de ouvir todos os relatos nesses últimos dias e de ouvir mulheres corajosas falarem sobre temas que nos mandam varrer para debaixo do tapete, fiquei com vontade de falar e falar alto. Me senti menos sozinha nesta semana do que em toda a minha carreira”, afirmou Reese.

Além dos trabalhos de atriz, Whitherspoon tem ganhado espaço como produtora e já contribuiu para projetos como Garota Exemplar (2014), Livre (2014) e a série da HBO Big Little Lies (2017). “Há muitas pessoas aqui que negociam diretamente com companhias de filmes. Na sua próxima negociação, pode ser prudente fazer questionamentos importantes, como ‘quem são as executivas mulheres na empresa?’ ou ‘quantas mulheres há no quadro de funcionários da companhia?’. Parece óbvio para as pessoas não fazerem essas perguntas, mas se elas se conscientizarem e realmente fizerem uma mudança, isso irá transformar a indústria e a sociedade”, garantiu.