Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Emma Watson responde após polêmica com Beyoncé sobre feminismo

Fãs chamaram atriz de hipócrita por comentários que ela fez sobre o disco da cantora e o uso da sexualidade em seus clipes

Por Da redação - 7 mar 2017, 21h13

Mais uma controvérsia caiu no colo de Emma Watson – ainda relacionado a seu ensaio da Vanity Fair. Depois de responder a críticas que questionavam se a atriz era mesmo feminista por ter aparecido sem sutiã e com um xale branco em uma das fotos, ela agora respondeu aos fãs de Beyoncé. Isso porque, durante uma entrevista em 2014, Emma fez comentários sobre o disco Beyoncé, que havia sido lançado no ano anterior, e o uso da sexualidade nos clipes do álbum.

Fãs da cantora chegaram a chamar a atriz de hipócrita – já que, segundo eles, ela teria defendido sua própria foto sensual, mas questionado o uso da sensualidade por Beyoncé. Confrontada nas redes sociais, Emma decidiu publicar em seu perfil no Twitter os trechos da entrevista em que ela trata do disco. Na reportagem, é ela quem está fazendo as perguntas para a escritora Tavi Gevinson. “Aqui estão as partes na minha entrevista com Tavi de 2014 em que nós falamos sobre Beyoncé. Minhas palavras estão em negrito”, escreveu a atriz na legenda da imagem.

No primeiro comentário, ela afirma que está um pouco “nervosa” porque ainda não se decidiu sobre o assunto. “Por um lado, ela se classifica como feminista, como uma mulher forte (…), mas a câmera me pareceu masculina, como se fosse uma experiência de um voyeur, homem, observando-a”, disse. Tavi responde afirmando que considerou o uso da sexualidade empoderadora no álbum e que Jay Z, marido de Beyoncé, aparece várias vezes nos clipes, como se ela estivesse dançando para ele. “Mas é uma escolha dela”, diz a escritora.

No segundo comentário, Emma concorda que a cantora está dançando para o marido. “E o fato de que ela não estava fazendo isso pela gravadora, mas sim para ela mesma, e o controle que ela tem dirigindo e divulgando isso, eu concordo que isso faz com que sua sexualidade seja empoderadora porque é escolha dela. Outra coisa é que você sente ‘Eu posso ser feminista, posso ser intelectual, mas também posso estar ok com a minha feminilidade e com ser bonita e todas essas coisas que eu pensava que negariam a minha mensagem’. Isso é o mais interessante no álbum. É tão inclusivo e coloca feminismo, feminilidade e empoderamento feminino em um espectro tão abrangente.”

Publicidade

No fim de semana, ao ser entrevistada pela agência Reuters para a divulgação do filme A Bela e a Fera, Emma comentou a polêmica sobre a foto para a Vanity Fair. “Isso sempre me mostra quantos equívocos e mal-entendidos existem sobre o que é o feminismo”, disse. “Feminismo significa dar escolhas às mulheres. Feminismo não é um bastão que você usa para bater em outras mulheres. É liberdade, libertação, igualdade. Realmente não sei o que os meus seios têm a ver com isso.”

Publicidade