Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Teatro Scala de Milão reabre e sinaliza o retorno da Itália à normalidade

Um dos mais importantes palcos da música clássica no mundo ficou fechado por quase sete meses em decorrência da pandemia do coronavírus

Por Felipe Branco Cruz 11 Maio 2021, 15h58

O teatro Scala de Milão, um dos mais importantes palcos da história da ópera, foi reaberto para o público nesta segunda-feira, 10. Trata-se de uma notícia alvissareira não só para a região da Lombardia, que foi uma das áreas mais afetadas pela pandemia do coronavírus na Itália, como também para as artes mundiais. Com quase 250 anos de existência, o Scala foi palco de antológicas apresentações clássicas, especialmente das obras de Gioacchino Rossini, Gaetano Donizetti e Vincenzo Bellini.

A abertura restrita a convidados ocorreu após um fechamento total de quase sete meses, depois que a segunda onda de Covid-19 atingiu o país. No programa, os integrantes da orquestra, conduzidos por Riccardo Chailly, executaram árias de Giuseppe Verdi e Richard Wagner, com a estreia da soprano norueguesa Lise Davidsen, de 34 anos, para um público de 500 pessoas. O local tem capacidade para abrigar 2.030 pessoas.

  • Na Itália, a reabertura foi comparada com aquela ocorrida há 75 anos, após a reconstrução do teatro, danificado durante a Segunda Guerra Mundial. O retorno, no entanto, só foi possível após uma ampla campanha de vacinação e na queda do número de contaminados e mortos no país.

    O simbolismo da reabertura da casa representa a esperança de que a vida voltará ao normal para cerca de um milhão de habitantes que vivem no centro econômico do país. A lembrança ainda recente das mortes e do rigoroso lockdown implementado pelo governo, finalmente está ficando para trás.

    Continua após a publicidade
    Publicidade