Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Quadro de Monet pode arrecadar até 98 milhões de reais em leilão

'Au jardin, la famille de l’artiste' retrata esposa e filho do artista em uma tarde no jardim de sua casa no subúrbio de Paris

Por Amanda Capuano 5 out 2021, 13h18

Um quadro de Claude Monet (1840-1926) exibido ao público pouquíssimas vezes irá a leilão na Christie’s em novembro, com expectativa de que arrecade entre 12 e 18 milhões de dólares, de 65,5 a 98,3 milhões de reais em cotação atual. Batizada como Au jardin, la famille de l’artiste, a obra retrata a esposa do artista, Camille, o filho mais velho, Jean, e uma outra figura feminina desfrutando de uma tarde ensolarada no jardim. A pintura foi a leilão pela última vez em 1984, e permaneceu na mesma coleção desde então.

Na época em que foi criada, Monet morava em Argenteuil, uma pequena cidade na margem direita do Rio Sena no subúrbio de Paris, a onze quilômetros da cidade luz. “Au jardin, la famille de l’artiste data de um momento chave na carreira de Monet. Oferecendo um vislumbre íntimo das rotinas tranquilas de sua vida familiar, a obra é repleta de cores vibrantes e luz do sol dourada, e contém todas as marcas do estilo impressionista clássico do artista”, explica Keith Gill, chefe da divisão de arte impressionista e moderna da Christie’s, em comunicado à imprensa.

A obra foi vendida pela primeira vez pelo próprio artista ao barítono francês Jean-Baptiste Faure, um ávido colecionador que permaneceu com a obra por mais de três décadas, antes que fosse vendida para Durand-Ruel em 1907. Foi nesse período que a obra foi vista pelo público em uma série de exposições impressionistas na Alemanha, por empréstimo do proprietário. Pouco depois, em 1911, a pintura foi adquirida pelo banqueiro Barão Mór Lipót Herzog, e posteriormente comprada pelos colecionadores alemães Kurt e Harriet Hirschland, em 1928. A pintura permaneceu na coleção de Hirschland até meados da década de 1960, quando passou para as mãos de David Bakalar, com quem permaneceu por mais duas décadas antes de ser leiloada em uma venda única em 1984, na qual foi adquirida junto com outras peças pelos atuais proprietários.

Entre as características típicas de Monet presentes na pintura, destaca-se o zelo por retratar com pinceladas as peculiaridades de diferentes espécies de flor, revelando um interesse pela botânica que atingiria o auge os famosos Jardins de Giverny. Antes de ser leiloada, a peça será exibida ao público em Hong Kong, de 7 a 12 de outubro e em Londres, de 18 a 21 de outubro, de onde parte para a galeria da Christie’s em Nova York, para ser vendida.

Continua após a publicidade

Publicidade