Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Festival de Berlim propõe versão híbrida para março e junho de 2021

Por causa do avanço da pandemia na Alemanha, evento, inicialmente marcado para fevereiro, agora se dará em duas fases: uma virtual, outra presencial

Por Tamara Nassif 18 dez 2020, 15h31

O Festival de Berlim anunciou mudanças para sua 71ª edição. Inicialmente marcado para 11 de fevereiro, propôs um formato híbrido entre online e presencial, sendo a primeira fase em março, a segunda, em junho. Com isso, se torna o primeiro grande evento cultural de 2021 a ser afetado pela pandemia e, provavelmente, puxará a fila para que outros festivais de cinema optem por uma escolha semelhante – seja pelo adiamento, seja pelo hibridismo.

A decisão vem na esteira de um aumento no número de casos confirmados de coronavírus e início de um novo lockdown na Alemanha, que, no próximo 27 de dezembro, irá começar a campanha de vacinação nacional. “Há um grande desejo de nos encontrarmos cara a cara”, disse Mariette Rissenbeek, diretora executiva do festival, em comunicado. “No entanto, a situação atual não permite que o evento físico ocorra em fevereiro.”

Com a divisão, a competição oficial do festival acontecerá como parte do evento virtual de março, destinada à indústria cinematográfica, na qual um júri na capital alemã selecionará os vencedores dos prêmios. Em junho, a ideia é realizar um mini-festival com estreias presenciais aos fãs do Berlinale, como é apelidado o evento.

  • Empurrado para março, Berlim provavelmente causará mudanças na agenda geral dos festivais. Cannes, por exemplo, marcado para maio, possivelmente terá tanto o festival de cinema, quanto o mercado virtual, adiados para final de junho ou começo de julho, de acordo com os organizadores.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade