Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Era só quem faltava: produtora de Spielberg fecha parceria com Netflix

Em mais um lance da aproximação entre Hollywood e o streaming, empresa do cineasta assinou um acordo com a gigante do streaming para criação de filmes

Por Marcelo Canquerino Atualizado em 22 jun 2021, 12h58 - Publicado em 22 jun 2021, 12h43

A produtora Amblin Partners, de propriedade do titã do cinema Steven Spielberg, assinou um contrato com a Netflix para a produção de vários filmes por ano dentro da plataforma. Segundo o site The Hollywood Reporter, fontes internas disseram que o acordo – vindo para engordar a lista de produções da empresa – não possui restrições de gênero ou orçamento. A nova parceria reforça a corrida de Hollywood rumo ao ouro do streaming: o fato de um símbolo do cinemão como Spielberg apostar cada vez mais no setor fala por si.  

Vale lembrar que, apesar da adesão de muitas estrelas  e diretores, existem ainda baluartes de Hollywood refratários á ideia de estrear filmes diretamente em serviços como a Netflix, e não nas tradicionais salas de cinema. Nessa lista de gente do contra figuram nomes como Martin Scorsese, que, embora tenha faturado indicações ao Oscar e sucesso com seu O Irlandês justamente na Netflix,  em 2019 escreveu um artigo para a Harper’s Magazine criticando as plataformas de streaming. Em sua bem-humorada companhia está Christopher Nolan, que não gostou nem um pouco do fato de seu filme Tenet ser lançado simultaneamente na HBO Max e nos cinemas nos Estados Unidos, em decorrência da pandemia. 

Steven Spielberg mesmo já foi visto, em um passado não tão distante, como outro cético sobre a Netflix. Em 2019, o diretor de Tubarão supostamente apoiou a proibição de filmes lançados direto no streaming serem elegíveis ao Oscar. Segundo a Variety, fontes próximas a Spielberg negaram esse discurso e o próprio cineasta também deu uma declaração ao The New York Times, no mesmo ano, negando as acusações. 

Além da Netflix, a empresa de Spielberg continuará suas produções com a Universal, parceria antiga e que teve o contrato renovado em dezembro de 2020. Segundo o novo acordo com a gigante do streaming, a Amblin Partners deve produzir ao menos dois filmes por ano, ainda sem especificações de quando isso deve acontecer. Além disso, Spielberg poderá até mesmo dirigir alguns projetos.  

Mesmo antes da pandemia já era possível vislumbrar passos decisivos de aproximação do cinema com as plataformas digitais de filmes e séries. Roma, dirigido pelo oscarizado Alfonso Cuarón e lançado pela Netflix, fez grande sucesso durante a temporada de premiações em 2019. Agora, já são comuns os lançamentos que dividem espaço entre os cinemas e os serviços de streaming pelo mundo todo, com estreias simultâneas, caso de Cruella, da Disney, ou mesmo com a ida direto para plataformas digitais, como o recente Luca, da Pixar/Disney.

A nova parceria entre a plataforma de streaming e a Amblin Partners mostra que a aproximação entre o cinema tradicional e o streaming tende só a se aprofundar.  “A plataforma global que eles construíram  — com mais de 200 milhões de assinantes — fala por si mesma, e estamos extremamente gratos por ter a oportunidade de trabalhar em estreita colaboração com Scott [chefe de filmes originais da Netflix] e sua incrível equipe para oferecer a marca icônica da Amblin para o público da Netflix.”, disse em comunicado o CEO da empresa de Spielberg, Jeff Small. 

Continua após a publicidade
Publicidade